7 passos para melhorar sua comunicação escrita 💬

comunicação escrita

Desde os poemas mais bonitos, passando por apostilas de cursos e chegando a tratados internacionais: a comunicação escrita está em todo lugar. É ela que nos ajuda a transmitir informações importantes, a passar ideias e a gerar emoções. Por meio dela também podemos escrever uma boa redação de vestibular, criar um currículo impecável para o primeiro estágio e nos comunicar virtualmente com os colegas do trabalho.

E quer uma curiosidade? Ela é considerada, inclusive, uma das habilidades dos profissionais do futuro — incluindo a área de Exatas! A previsão é de que, em pouco tempo, a maioria dos trabalhos e toda a comunicabilidade serão a distância.

Sendo assim, que tal pensar no seu sucesso profissional e aprender logo algumas dicas de comunicação escrita? É só continuar com a gente!

Seja simples e direto

Escrever bonito é diferente de usar palavras rebuscadas ou de adotar uma linguagem prolixa. Textos bons de ler precisam ser claros e entregar a mensagem proposta.

Isso que dizer que termos simples costumam ser mais aceitos, principalmente no contexto de uma comunicação escrita no trabalho. Então, por que usar “encômio”, quando podemos trocar por “elogio”?

Também prefira frases na forma direta, porque elas tornam o texto mais compreensível. Isso significa seguir a estrutura sujeito + verbo + complemento.

Ficou na dúvida? Veja a diferença nas frases seguintes:

  • “Eduardo fez 1 litro café, porque precisava ficar acordado para estudar matemática até tarde da noite”.
  • “Por precisar ficar acordado para estudar matemática até tarde da noite, Eduardo fez 1 litro de café”.

Percebe que a primeira forma parece mais suave aos ouvidos? Isso deve ser seguido especialmente em textos grandes. Algumas vezes, você pode até fazer a troca como um recurso para dar ênfase em determinada parte do texto. Mas isso deve ser exceção, combinado?

Procure estruturar bem seu texto

Os textos seguem uma estrutura, seja para contar uma história, seja para escrever redações e artigos. Introdução, desenvolvimento e conclusão entregam uma leitura mais dinâmica e compreensível. Também entram nesse pacote o tamanho dos parágrafos, a coesão e a coerência.

Dependendo do contexto (no vestibular ou no trabalho), você também vai precisar criar textos argumentativos ou expositivos, por exemplo. Por isso é importante entender as diferenças entre eles, para entregar um texto alinhado ao que foi solicitado.

Use qualquer pretexto para escrever

Sucesso só chega com treinos e trabalho árduo. A princípio, se comunicar pela escrita até parece simples. Mas quando começamos a colocar em prática é que nos damos conta das nossas dúvidas e dificuldades em criar textos compreensíveis e atrativos. A dica? Não deixe de treinar, escreva sempre que puder.

Anote seus pensamentos em um diário, faça resumos de livros e filmes, crie poemas, conte uma história. Esse exercício estimula a concentração, deixa o pensamento mais organizado e ajuda a melhorar o vocabulário.

Investigue o que ainda não sabe

É comum não saber algo ou ter insegurança. Mas é fundamental ter iniciativa para resolver qualquer obstáculo. Essa atitude, inclusive, reflete nos resultados do nosso trabalho e profissão.

Uma dúvida comum entre os estudantes é o uso de vírgulas, por exemplo. Elas seguem regras próprias, e você precisa entender morfologia e sintaxe para saber quando o uso é obrigatório ou facultativo.

Também existem palavras e expressões que volta e meia nos causam incertezas: é com S ou com Z? É “para mim” ou “para eu”? Aqui, devo usar “há” ou “a”? E quando a crase é obrigatória?

Nossa língua conta com algumas diretrizes para que a comunicação seja bem entendida. Por isso, prefira não arriscar: sempre verifique a resposta quando ficar na dúvida.

Tenha sempre um livro de cabeceira

Você lembra que, nos primeiros anos da escola, a professora passava muitas atividades de alfabetização e letramento? Elas costumavam ter uma história divertida para o aluno ler e interpretar. Nos anos seguintes, essa atividade de interpretação nunca parou. O que mudou foi só a complexidade dos textos. Sabe o que isso significa? Que compreender o que um texto está dizendo é sempre essencial.

Com o hábito de leitura, você estimula seu cérebro, aprende novas palavras e se acostuma com diferentes formas de se expressar. Isso deixa o pensamento mais ágil, facilita o raciocínio e aumenta o conhecimento sobre vários assuntos. Como consequência, fica mais fácil argumentar, expressar sentimentos e defender seu ponto de vista.

Tenha bons livros por perto e pense em metas anuais de leitura. Você verá que, com o tempo, a habilidade da escrita fica mais fácil.

Procure boas orientações

Se a dificuldade for grande, que tal pedir ajuda a um professor? Caso você estude em um cursinho pré-vestibular, por exemplo, comente o problema com alguém que possa orientar a sua produção de texto, de acordo com as exigências das provas. Tenha em mente que a redação é essencial para a aprovação, não importa o curso.

Se já estiver na faculdade, a ideia é a mesma. Sempre tem alguém disposto a ajudar. Aqui na Pitágoras, contamos com ótimos professores, que não vão medir esforços para ensinar ou indicar um bom material, qualquer que seja a modalidade de ensino em que você estude.

Outra ideia é acompanhar sites de instituições que postam conteúdos ricos. No blog da Pitágoras, por exemplo, você encontra vários artigos que te ajudam a se preparar para a sua carreira. Alguns exemplos são dicas para fazer uma carta de apresentação ou para escrever um artigo de opinião.

Utilize recursos de engajamento

Recursos de engajamento são umas das melhores dicas para escrever. Eles têm a função de reter a atenção do leitor e deixar a leitura bem mais agradável. Os exemplos, as analogias e as metáforas são alguns deles.

Exemplos facilitam o entendimento, por meio de hipóteses ou relações com alguma situação cotidiana. Analogias são figuras de linguagem que fazem comparações entre objetos, situações e experiências. Metáforas também são figuras de linguagem e têm uma proposta semelhante: comparar sentidos entre ideias. A diferença é que, nas analogias, há sempre um ponto de semelhança nas ideias.

Veja só:

  • “amor é fogo que arde sem se ver” (Camões): nessa metáfora, o poeta compara a ardência do amor com a do fogo;
  • “assim como a lagarta passa por fases doloridas para se transformar em uma linda borboleta, nós também precisamos dos períodos difíceis para virarmos pessoas mais evoluídas”: nessa analogia, há a comparação entre os processos penosos para chegar a um resultado melhor.

Como vimos, tudo é questão de praticar. É muito raro alguém conseguir fazer algo brilhante sem nenhum esforço. Por isso, não deixe de treinar sua comunicação escrita e, sempre que possível, peça um feedback para outras pessoas. Um feedback mostra como a mensagem é recebida e ajuda a conquistar mais sucesso nas próximas tentativas.

Gostou do conteúdo? Então, leia o próximo artigo e descubra como conquistar um emprego!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.