Transferência interna e externa: qual a diferença?

alunos de transferência interna e externa

Transferência interna e externa são dois recursos que permitem ao graduando modificar algum aspecto da sua graduação. Mas existe uma diferença entre elas que diz respeito à mudança ou não de instituição de ensino.

Por isso, na hora de solicitar uma transferência, é importante ter muito bem definido qual é o seu objetivo, para que possa saber qual das duas é melhor em seu caso. Se você tem dúvidas sobre como cada uma delas funciona, então vai gostar deste artigo!

Aqui, explicaremos o que é transferência interna, o que é transferência externa, em quais casos cada uma delas se encaixa e quais são as suas diferenças. Continue lendo e fique por dentro do assunto!

O que é transferência interna e em quais casos ela pode ocorrer?

Geralmente, quando alguém decide fazer um curso superior, procura pesquisar muito bem sobre a instituição de ensino, para ter certeza de que ela está adequada à suas expectativas. Mas, depois de começar a sua graduação, talvez você perceba aspectos que antes não conhecia.

Então, mesmo estando satisfeito com a faculdade, seus métodos de ensino, corpo docente e outras características, o graduando pode precisar solicitar uma transferência interna, para adequar seus estudos às suas necessidades — seja porque ele decidiu que quer mudar de área, seja porque o curso não estava satisfazendo seus horários, por exemplo.

Ou seja, esse tipo de transferência é solicitado pelos estudantes que não querem mudar de instituição de ensino, uma vez que o processo se dará dentro da própria faculdade. A seguir, mostramos algumas situações em que esse recurso pode ser solicitado.

Nova opção de curso

Não é raro que um estudante não se identifique com o curso que escolheu depois de iniciar seus estudos. Nesse caso, não há necessidade de continuar insistindo naquilo que não está de acordo com seus objetivos, concorda? Mas se tudo vai bem com a faculdade, também não é preciso sair dela.

Nesses casos, cabe a solicitação de uma transferência interna, optando por um curso que seja de uma área relacionada àquela em que está matriculado. Assim, não é necessário passar por todo um processo seletivo mais uma vez para tentar uma vaga, perdendo o tempo que já foi investido.

Mudança de período

Também pode acontecer de o estudante precisar mudar de período. Por exemplo, aquele que está estudando de manhã mudar para noite, seja em função de uma nova rotina, por questões de adaptação ou porque conseguiu um emprego.

Esse tipo de transferência acontece de uma forma muito simples, mas é preciso confirmar com a faculdade se existe vaga para o período pretendido. O mesmo acontece no caso anterior, de solicitação de mudança de curso.

Outra modalidade de ensino

A transferência interna também pode ser solicitada pelos estudantes que precisam optar por outra modalidade de ensino. Esse é o caso de quem começou estudar no formato presencial, mas agora quer fazer uma faculdade semipresencial, por exemplo.

Essa é uma boa alternativa, por exemplo, para quem precisa se dedicar ao trabalho e aos filhos ou que estuda um pouco longe de casa e quer economizar — afinal, não será preciso comparecer à faculdade todos os dias, bastando optar pelos cursos do formato EAD.

Na Pitágoras, você pode escolher se deseja estudar na modalidade presencial, semipresencial ou 100% online, mantendo a mesma qualidade de ensino para se preparar bem para o mercado de trabalho. Além disso, existem várias unidades espalhadas pelo Brasil, para facilitar ainda mais o seu acesso ao ensino superior.

Alteração de campus

Caso o estudante queira se manter na mesma instituição de ensino, mas tenha interesse em estudar em um campus diferente, ele pode fazer a solicitação de uma transferência interna. Essa é uma boa alternativa para quem quer buscar faculdades próximas da sua casa ou do seu local de trabalho, para não precisar se deslocar demais.

Pode acontecer, por exemplo, de a instituição de ensino inaugurar uma nova unidade mais perto da residência do graduando, ou começar a disponibilizar o curso que ele faz em um campus mais próximo. Nessas e outras situações, ser transferido traz mais praticidade.

O que é transferência externa e quais as diferenças em relação à interna?

Em contraponto ao caso anterior, a transferência externa é solicitada quando o estudante deseja mudar de instituição de ensino. Nesse caso, sua matrícula será cancelada na faculdade onde ele está atualmente, e ele passará a ser aluno de outra.

Sendo assim, a principal diferença entre transferência interna e externa é o fato de que, na primeira, o estudante continua sendo aluno da mesma faculdade, modificando apenas alguns aspectos da graduação; já no segundo, ele passa a estudar em uma instituição diferente.

É possível solicitar uma transferência externa entre faculdades públicas, privadas ou de uma faculdade pública para uma privada e vice-versa. Porém, é preciso estar atento a alguns fatores, como a disponibilidade de vaga para o curso que se deseja fazer.

O estudante tem a opção de se manter na mesma graduação, mudar de faculdade e escolher um curso diferente, em outra modalidade, outro período ou conforme desejar. Lembrando que é preciso sempre se informar sobre como esse procedimento é realizado na nova instituição.

Não é uma regra, mas pode acontecer de ser necessário fazer um novo vestibular ou uma prova referente à graduação que está sendo cursada. Mas isso varia entre as faculdades, assim como acontece no caso da transferência interna. Afinal, não existe uma determinação que estabeleça uma padronização para todas as instituições.

Qual tipo de transferência escolher?

Para escolher entre transferência interna e externa é preciso que você considere aquilo que deseja para sua graduação, o que atende as suas necessidades e também sua afinidade com a instituição e o curso que está fazendo.

Conforme explicamos, na transferência interna você apenas modificará alguns aspectos da sua graduação, mas continuará estudando na mesma faculdade. Já na transferência externa, você deixará de ter qualquer vínculo com a instituição em que está agora e passará a ser um aluno daquela para qual está sendo transferido.

Por isso, trata-se de uma decisão muito pessoal e que deve ser tomada com cautela, principalmente se você fará uma mudança de curso e de faculdade simultaneamente. Afinal, essas duas alterações geram um impacto significativo.

É válido lembrar que algumas faculdades disponibilizam vagas específicas para os alunos que precisam fazer transferência interna e externa. De toda forma, antes de solicitar uma ou outra, pense bem a respeito sobre o que deseja mudar em sua graduação, para que possa optar pelo recurso que está mais adequado aos seus objetivos e expectativas.

Na página da Pitágoras, você encontra as informações sobre o nosso processo de transferência. Assim, você consegue avaliar tudo o que precisa para ter a certeza de que está fazendo a escolha certa!

Se ainda tiver dúvidas, entre em contato conosco e veja como podemos te ajudar criar uma carreira de sucesso!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content