Entenda a diferença entre 4 tipos de Medicina

tipos de medicina

Você sabia que existem vários tipos de Medicina, além da tradicional? Sim, elas ajudam na recuperação de doenças do corpo e da mente, mas não utilizam remédios ou procedimentos convencionais.

Muitas delas, inclusive, não são reconhecidas como uma especialidade médica. Tanto que a atuação profissional nem sempre exige a graduação em Medicina, apenas especializações como cursos livres e pós-graduações. Por outro lado, são recursos altamente benéficos e incentivados pelos próprios médicos “tradicionais”.

A principal diferença dos tipos de Medicina é que eles adotam produtos e práticas que não fazem parte do tratamento padrão, embasado em evidências científicas. Alguns, inclusive, enxergam o paciente de maneira global, o que inclui questões mentais e até espirituais. 

Agora que você entende qual é essa diferença, que tal conhecer alguns dos principais tipos de Medicina? A gente aqui da Pitágoras te conta. Fique com a gente nesta leitura!

Medicina alternativa e complementar

Pra você que está preparando seu plano de estudos pra Medicina, é importante conhecer a diferença entre esses dois termos muito parecidos. Em primeiro lugar, toda Medicina complementar pode ser alternativa, mas nem toda Medicina alternativa é complementar.

Bagunçou a cabeça? Calma! A Medicina complementar, como o próprio nome sugere atua como um recurso a mais ao tratamento da Medicina tradicional (que usa remédios, cirurgias e outros procedimentos comuns da área médica alopática).

Já a Medicina alternativa funciona como um tratamento alternativo ao convencional, e nem sempre é reconhecida pela área médica. Eventualmente, porém, ambas as áreas se cruzam e um tratamento tido como alternativo pode se tornar complementar.

A boa notícia é muitas dessas terapias já apresentam sérias evidências científicas de que seus resultados ajudam bastante em alguma etapa dos tratamentos. Tanto que o Ministério da Saúde reconhece várias dessas práticas, que são oferecidas gratuitamente pelo SUS e cobertas pelos planos de saúde. É o caso da Acupuntura, Ayurveda, Homeopatia, Musicoterapia e Quiropraxia.

Veja alguns exemplos dessas terapias, a seguir.

Medicina alternativa tradicional

Este campo inclui as formas de terapia praticadas há séculos em todo o mundo, especialmente embasadas na Medicina chinesa ou oriental, por exemplo:

  • acupuntura;
  • ayurveda;
  • homeopatia;
  • naturopatia.

Terapias corporais 

A cura pelo toque é baseada na ideia de que doenças ou lesões em uma área do corpo podem afetar todas as partes. Se, com a manipulação manual, as outras partes puderem ser trazidas de volta à saúde ideal, o corpo pode se concentrar totalmente na cura do local da lesão ou doença. Algumas delas são:

  • massagem;
  • quiropraxia e Medicina osteopática;
  • terapias de movimento corporal;
  • tai chi;
  • yoga.

Vai prestar o vestibular este ano? Então, dê uma pausa na sua leitura e baixe gratuitamente este Guia prático pra ser aprovado em Medicina!

Medicina integrativa

Diferentemente das Medicinas alternativas ou complementares, a Medicina integrativa se une à tradicional pra planos de tratamento mais abrangentes, que incluem diversas formas de tratamento integradas.

Com o objetivo de focar a saúde e a cura, em vez de simplesmente a doença e o tratamento alopático, a Medicina Integrativa enxerga a pessoa por inteiro. Pra isso, pacientes e médicos trabalham prestando atenção aos fatores do estilo de vida, como dieta, exercícios, qualidade do descanso e do sono e a natureza dos relacionamentos.

banner plano de estudos medicina pitágoras

Os princípios da Medicina Integrativa são:

  • paciente e médico são parceiros no processo de cura;
  • há fatores como mente, espírito, hábitos e relacionamentos influenciam a saúde do corpo, o bem-estar mental e a própria doença;
  • a reunião de métodos convencionais e alternativos ampliam o tratamento e facilitam a cura;
  • sempre que possível, utilizar intervenções naturais e menos invasivas;
  • não há rejeição à Medicina convencional, nem são aceitas terapias alternativas sem critério;
  • a Ciência orienta a investigação da Medicina Integrativa e sua abertura a novos métodos;
  • a promoção da saúde e prevenção de doenças caminham junto ao tratamento convencional;
  • quem pratica a Medicina integrativa deve se comprometer com a autoexploração e o autodesenvolvimento.

Medicina Antroposófica

A Medicina Antroposófica é uma forma de Medicina Integrativa que merece destaque. Tem suas raízes na tradicional, mas leva considera o ser humano na totalidade em seu método, diagnóstico e terapia. Esse sistema terapêutico foi criado pelo educador e filósofo Rudolf Steiner e pela médica Ita Wegman, e envolve outras áreas, como Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Psicologia.

Seu objetivo é complementar as demais áreas médicas pra proporcionar um tratamento mais humanizado pra resgatar o equilíbrio entre o corpo e a mente do paciente. As práticas da Medicina Antroposófica incluem ingestão de medicamentos, aplicação de óleos e essências, bem como a associação de terapias artísticas, psicoterapia, massagem terapêutica rítmica, exercícios de meditação e atenção plena.

Medicina ortomolecular

Medicina ortomolecular foi um termo cunhado pelo duas vezes ganhador do Prêmio Nobel, Dr. Linus Pauling, pra oferecer suplementação de micronutrientes pra doenças agudas ou crônicas, como osteoartrite, ou em certas situações da vida, como gravidez. 

Ele explicou sua definição de Medicina Ortomolecular na revista Science, em 1968:

“A Medicina ortomolecular é a preservação da saúde e o tratamento de doenças, variando-se a concentração de substâncias que estão normalmente presentes no corpo e são necessárias para a saúde”.

Pra isso, o médico ortomolecular considera não apenas o estado de saúde do paciente, mas também fatores externos ou ambientais e a qualidade da dieta. Logo, o objetivo da Medicina ortomolecular não é apenas eliminar doenças, mas favorecer a “saúde ideal”.

Escolha a sua área!

Se você vai prestar o vestibular de Medicina, é essencial conhecer essas áreas de colaboração, pois elas demonstram que a saúde não pode ser vista de maneira isolada. Estes foram alguns exemplos de práticas, reconhecidas ou não, que vêm contribuindo de alguma maneira para a maior equilíbrio entre o corpo e a mente.

Além disso, entender os tipos de Medicina ajuda muito a compreender as demandas profissionais atuais, para você alcance uma formação ainda mais completa. Inclusive, alguns médicos optam por especialização em áreas como essas, o que permite a eles experimentarem alternativas que se unem aos tratamentos tradicionais para seus pacientes.

Agora uma pergunta: é seu sonho se tornar médico? Então, não perca mais tempo! Inscreva-se já no vestibular do curso de Medicina da Pitágoras!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.