Quanto ganha um pediatra? Conheça o salário médio deste especialista!

Inscrições Vestibular Medicina 2024.1 Pitágoras

Não temos uma lembrança muito nítida deste profissional quando somos crianças. Somente depois de adultos podemos entender a importância de um pediatra na vida dos pequenos pacientes. É este médico que acompanha os pequenos no seu crescimento e desenvolvimento, para que se tornem adultos saudáveis.

Além disso, a Pediatria reúne conceitos que podem parecer distantes da Medicina: o ato de diagnosticar doenças com a alegria dos pacientes. Não à toa, esta é uma das especialidades mais procuradas pelos médicos nos programas de residência. Vamos conhecer neste post quanto ganha um pediatra, quais as especialidades e onde ele pode trabalhar.

O pediatra ganha R$ 6.820,72 em média*

O salário médio de um pediatra é de R$ 6.820,72 segundo o site salario.com.br*, que levanta dados do governo federal dos rendimentos de pediatras em todo o Brasil. Por conta disso, esse valor representa apenas a média salarial, e ele varia muito de acordo com uma série de critérios.

Veja quanto ganha o pediatra em diferentes cargos e áreas! 

O salário do pediatra varia muito de acordo com a área, nível de experiência e cargo. Assim, um pediatra recém-formado ganha, em média, R$ R$ 4.144,28. Um de nível júnior, R$ 7.306,56; o pleno, R$ 8.265,40, e o sênior, R$ 9.928,65. O piso salarial de um pediatra é de R$ 6.820,72, e o teto salarial, de R$ 15.869,29.

Outro detalhe que influencia nessa conta é a cidade onde o pediatra trabalha: a remuneração varia bastante. A média salarial em Salvador (BA) é de R$ 10.407,15; São Paulo (SP), é de R$ 8.895,67; e no Rio de Janeiro (RJ), R$ 6.733,28.

Pediatra residente

O residente é o que começou seus estudos na Pediatria. O salário de um residente é, em média, R$ 3.330,43. A residência nesta área leva, em média, três anos, e o profissional já sai formado como pediatra e pode atuar profissionalmente. 

Para fazer residência em Pediatria, os médicos podem atuar em prontos-socorros e hospitais públicos ou privados. Eles estarão sempre sob a supervisão de um professor ou médico experiente, para que o aprendizado seja profundo e eficaz. Ele ainda pode fazer subespecializações dentro da residência, como Otorrinolaringologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Cirurgia, Medicina Intensiva, Hebiatria (que cuida de adolescentes) e Oncologia, por exemplo.

Pediatra plantonista

O pediatra plantonista é quem está nos prontos-socorros e faz os primeiros atendimentos. Assim, crianças que chegam com sintomas na fase aguda, que demandam atendimento emergencial, são tratadas por este profissional.

De forma geral, os pediatras plantonistas atendem a todos os tipos de casos dentro da especialidade. Dessa forma, ele pode se deparar com crianças com crises de falta de ar, rinites, dores no abdômen, problemas gastrointestinais, entre outros sintomas. O salário médio de um pediatra plantonista é de R$ 5.506,18. Mas os valores podem variar de acordo com as escalas de plantão e tipo de hospital. 

Pediatra do Sistema Único de Saúde (SUS)

Pediatras que atuam no SUS podem ser plantonistas, que atendem nos pronto-atendimentos em hospitais; ambulatoriais, que fazem consultas com os pacientes; ou os cirurgiões, especializados em cirurgias. A remuneração média de um pediatra que trabalha no sistema público de saúde é R$ 6.634,67. 

Quiz: qual área de Medicina combina comigo? (Vestibulares)

Por outro lado, é bom sempre frisar que essa é uma média dos salários recebidos por estes profissionais. O valor varia bastante de acordo com a cidade, especialidade e porte do estabelecimento. Outro fator que conta para a diferença salarial é a quantidade de horas por plantão, e quantos plantões o profissional faz por mês.

Pediatra especializado

O pediatra pode ser ainda mais especializado dentro de sua área de atuação. A Pediatria conta com as especializações Oncologia, Cirurgia, Cardiologia, Endocrinologia, Pneumologia, Neurologia, Gastroenterologia, Infectologia, Medicina Intensiva, Nefrologia, Nutrologia, UTI, Neonatologia, Hebiatria (que trata dos adolescentes) e Hematologia. Esses profissionais são mais bem remunerados: o salário médio de um especialista é de R$ 8.265,40.

Sua presença em um corpo clínico faz toda a diferença para tratamentos de condições mais complexas ou doenças crônicas.

Pediatra clínico

Este profissional é o que atende em consultórios e clínicas, fazendo consultas, prescrevendo medicações, solicitando exames e fazendo diagnósticos. É com este pediatra que geralmente atende crianças em casos menos urgentes, de forma a fazer controle de doenças crônicas ou tratar as formas agudas. O salário médio de um pediatra ambulatorial é de R$ 7.262,95.

Pediatra especialista em exames

Este profissional pode atuar tanto em consultórios quanto realizar exames específicos, solicitados pelos médicos. Por meio dos exames, os médicos interpretam os resultados e conseguem fazer o diagnóstico. Este pediatra pode trabalhar em clínicas ou laboratórios especializados. O salário médio deste pediatra é de R$ 6.918,78.

Veja como você pode crescer na Pediatria e ganhar mais!

Aqui estamos falando da formação acadêmica do profissional: onde ele estudou, a ênfase no curso, os trabalhos que ele desenvolveu ao longo dos seis anos de faculdade, os três de residência, entre outros fatores. 

Embora a formação acadêmica em Pediatria seja suficiente para a carreira do médico especialista, é sempre bom continuar os estudos. Aqui valem os cursos de extensão, os livres, e os de pós-graduação. Procure, ainda na faculdade de Medicina, se você já gosta deste campo, fazer pesquisas na área e estudar com mais profundidade. Isso ajudará muito na hora de fazer a residência.

Assim, quando você se especializar em Pediatria, já estará mais do que preparado para começar no mercado de trabalho e pavimentar seu caminho de sucesso!

A Pitágoras te ajuda a realizar o sonho da faculdade de Medicina!

Com duração de seis anos, o curso de Medicina da Pitágoras é muito abrangente. Esse tipo de abordagem no aprendizado é fundamental para adquirir conhecimento multidisciplinar, algo que o mercado de trabalho valoriza bastante. Além disso, o método de aprendizado PBL (Problem Based Learning ou Aprendizagem Baseada em Problemas) faz o aluno aprender na prática, com integração das disciplinas.

O aluno Pitágoras também faz visitas periódicas ao SUS, para conhecer o dia a dia da profissão, além do período de estágio obrigatório. Por fim, os laboratórios trazem a Medicina para perto do graduando. São vários: o Laboratório Morfofuncional, Laboratório Multidisciplinar, Laboratório de Habilidades Médicas e Laboratório de Microscopia.

Agora, uma coisa é certa: há muitas formas para crescer profissionalmente na Medicina, mas todos os caminhos têm o mesmo começo: participar do processo seletivo! Que tal mudar de vida agora? Então, inscreva-se no vestibular da Pitágoras!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.