Como se tornar um Pediatra? Descubra como chegar lá!

Teste vocacional rápido

O pediatra é o médico especializado em cuidar de crianças e adolescentes. Assim, os pais levam os filhos em consultas periódicas para ver se está tudo bem com eles, bem como fazer acompanhamento em casos de doenças crônicas. Há também os pediatras plantonistas, que trabalham em pronto-socorros para ocorrências urgentes.

Vamos ver neste post qual faculdade fazer para se tornar um pediatra, o que ele estuda, onde ele pode trabalhar e como se manter sempre atualizado na profissão. É uma área muito importante, porque ela ajuda a prevenir doenças no futuro.

Qual faculdade precisa fazer para ser um pediatra?

Os pediatras precisam, primeiro, fazer faculdade de Medicina. A Medicina, na verdade, é o ponto de partida para todas as especialidades. São seis anos de curso em tempo integral, nos quais o aluno tem um panorama de todas as especialidades, para que ele conheça o corpo humano como um todo.

Nos primeiros semestres, o graduando tem contato com as áreas mais gerais da Medicina, e estuda assuntos como Anatomia, funções biológicas, habilidades médicas, fisiologia, envelhecimento celular, sexualidade, doenças e sintomas de forma geral. Os estágios obrigatórios aparecem a partir do nono semestre, e são feitos também de forma integral.

Os estágios são feitos no Sistema Único de Saúde (SUS) em instituições variadas. Dessa forma, o graduando tem contato com campos diferentes, públicos distintos e tem uma ampla visão do dia a dia do médico. 

Com isso, a formação em Medicina é feita de forma generalista. Isso capacita o médico, ao terminar o curso, atender como clínico geral em hospitais, clínicas e consultórios. Mas ele pode se especializar em uma área, e uma delas é a Pediatria.

Residência em Pediatria

Sabia que a residência em pediatria é uma das mais procuradas pelos médicos? Afinal, ela reúne o cuidado com o carinho e a alegria de cuidar de crianças. Mas a residência é um processo longo, que leva três anos, com carga horária de 60 horas por semana.

O residente tem contato com as crianças nos hospitais que oferecem a residência, que é de acesso direto. Isso significa que o médico não precisa ter uma formação anterior para ingressar no curso. Uma vez graduado em Medicina, ele pode se candidatar às vagas de residente que são oferecidas pelas instituições médicas.

Uma característica que deve ser desenvolvida em especial no pediatra é a anamnese, que é aquela parte da consulta na qual o médico pergunta ao paciente quais são os sintomas. Como as crianças não conseguem explicar bem o que sentem, o profissional precisa ter uma abordagem mais cautelosa para fazer um diagnóstico correto, ou começar a investigar o problema deste pequeno paciente.

Especialidades dentro da Pediatria

Uma vez terminada a residência de três anos e com o título de especialista, o pediatra já pode atender seus pacientes. Mas ele pode continuar os estudos e fazer subespecializações dentro desta área.

Presencial, 100% EAD ou semipresencial: em qual vou me adaptar melhor?

Elas são importantes porque há casos nos quais somente um profissional bastante especializado pode chegar a um diagnóstico preciso, e fazer o tratamento adequado. Assim, dentro da Pediatria, há as especialidades de Oncologia, Cirurgia, Cardiologia, Endocrinologia, Pneumologia, Neurologia, Gastroenterologia, Infectologia, Medicina Intensiva, Nefrologia, Nutrologia, UTI, Neonatologia, Hebiatria (que trata dos adolescentes) e Hematologia.

Onde trabalhar como pediatra?

Os profissionais especializados em Pediatria podem ter suas próprias clínicas ou consultórios, ou trabalhar em instituições nas quais há médicos de várias áreas diferentes. Ele pode atuar também em hospitais, tanto no setor público quanto privado. 

O pediatra pode ser clínico, que atua nos consultórios; plantonista, que atua em pronto-socorros para atender crianças em situação de emergência, ou cirurgião, que se especializa em procedimentos cirúrgicos nos pequenos pacientes. De qualquer forma, o pediatra tem as habilidades para atender da melhor forma as crianças, para que elas entendam o que está acontecendo e possam passar pelo tratamento de forma mais tranquila.

Há também os pediatras que decidem seguir carreira acadêmica e se tornam professores ou pesquisadores. Estes profissionais são fundamentais, porque eles descobrem novos procedimentos, remédios, exames e até novas curas.

Veja como você pode crescer na Pediatria!

Aqui estamos falando da formação acadêmica do profissional: onde ele estudou, a ênfase no curso, os trabalhos que ele desenvolveu ao longo dos seis anos de faculdade, os três de residência, entre outros fatores. 

Embora a formação acadêmica em Pediatria seja suficiente para a carreira do médico especialista, é sempre bom continuar os estudos. Aqui valem os cursos de extensão, os livres, e os de pós-graduação. Procure, ainda na faculdade de Medicina, se você já gostar deste campo, fazer pesquisas na área e já estudar com mais profundidade. Isso ajudará muito na hora de fazer a residência.

Assim, quando você se especializar em Pediatria, já estará mais do que preparado para começar no mercado de trabalho e pavimentar seu caminho de sucesso. Mas isso não significa que, uma vez formado, o profissional deixa de estudar. As inovações na Medicina surgem a todo instante, inclusive na Pediatria. Dessa forma, o profissional não deve deixar os estudos de lado e manter a curiosidade.

Uma das formas de se manter atualizado é participar de fóruns, congressos, seminários e conferências. Nestes eventos, pesquisadores e profissionais renomados trazem o que há de mais atual dentro da Pediatria. Isso ajuda muito no dia a dia do Pediatra!

A Pitágoras te ajuda a realizar o sonho da faculdade de Medicina!

Com duração de seis anos, o curso de Medicina da Pitágoras é muito abrangente. Esse tipo de abordagem no aprendizado é fundamental para adquirir conhecimento multidisciplinar, algo que o mercado de trabalho valoriza bastante. Além disso, o método de aprendizado PBL (Problem Based Learning ou Aprendizagem Baseada em Problemas) faz o aluno aprender na prática, com integração das disciplinas.

O aluno Pitágoras também faz visitas periódicas ao SUS, para conhecer o dia a dia da profissão, além do período de estágio obrigatório. Por fim, os laboratórios trazem a Medicina para perto do graduando. São vários: o Laboratório Morfofuncional, Laboratório Multidisciplinar, Laboratório de Habilidades Médicas e Laboratório de Microscopia.

Agora, uma coisa é certa: há muitas formas para crescer profissionalmente na Medicina, mas todos os caminhos têm o mesmo começo: participar do processo seletivo! Que tal mudar de vida agora? Então, inscreva-se no vestibular da Pitágoras!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Prouni, FIES, crédito estudantil ou bolsa privada: qual a melhor opção para mim?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.