PEP ou FIES: qual a melhor opção para você?

mulher em frente ao computador trilhas de carreira

A grana para pagar a faculdade está curta? Atualmente, existem várias opções para quem deseja cursar o ensino superior e encontra-se nessa situação. Investir nesse tipo de diploma é muito interessante para o mercado de trabalho, visto que o profissional com ensino superior ganha até 140% a mais do aqueles que interromperam ou nem começaram esse nível de estudos.

Além do programa de financiamento do governo, chamado FIES, existem instituições de ensino que oferecem um parcelamento privado das mensalidades, chamado de PEP. Ambas são ótimas opções, mas existem diferenças marcantes entre elas. Para escolher a melhor opção, é preciso entender os pontos positivos e negativos, assim como as regras que se aplicam a cada programa.

Quer saber como escolher entre PEP ou FIES? Então, confira o artigo abaixo!

Como funciona o PEP?

O parcelamento estudantil privado, ou PEP, é oferecido por algumas faculdades particulares. Aqui na Pitágoras, oferecemos esse parcelamento para os alunos nos mais variados cursos de graduação.

O interessante é que, ao ingressar em uma das faculdades que oferecem o PEP por meio do vestibular, seja ele tradicional, seja ele o ingresso pela nota do Enem, o aluno já conta com o parcelamento. Isso significa que ele é pré-aprovado, ou seja, basta dizer no momento da matrícula que deseja aderir ao PEP. Caso a sua faculdade não ofereça o PEP, é possível realizar uma transferência para instituições que o tenham.

Nessa modalidade de parcelamento, o estudante consegue financiar até 70%* do custo total de seu curso, pagando apenas 30 a 60% do valor das mensalidades enquanto estuda. Existem várias modalidades, como o PEP 25, 30 ou 50. No PEP 25, por exemplo, 70% do curso será parcelado. Durante o primeiro ano de graduação, o aluno paga 25% do valor total da mensalidade e, após, passa a pagar 35%.

Os pontos positivos são a não incidência de juros e a falta de burocracia, visto que é bastante simples e fácil aderir ao PEP. Não é preciso ter conta em banco ou apresentar um fiador. Além disso, o parcelamento não tem relação com a nota do Enem, o que acontece nos programas do governo.

Ao fim do curso, o aluno começará a pagar o saldo devedor em mensalidades. Geralmente, a pessoa pode quitar o valor total do curso durante o mesmo período que teve para estudar. Se o curso durou quatro anos, após se formar, o estudante terá quatro anos no mínimo para parcelar sua dívida.

Como funciona o FIES?

O FIES é o programa de financiamento oferecido pelo governo em parceria com o banco Caixa Econômica Federal. O objetivo é ajudar estudantes a ingressar no ensino superior privado. As vagas são bastante limitadas, e é preciso que o aluno tenha feito o Enem em alguma edição a partir de 2010, com média mínima de 450 pontos na prova e sem ter zerado a redação. Isso é imprescindível, porque as vagas serão conquistadas por aqueles com as melhores notas; o sistema responsável pelo FIES realiza um ranking entre os alunos.

Atualmente, existem duas modalidades de FIES. Na primeira modalidade, chamada de novo FIES, são oferecidas vagas com juros zero, mas com correção da inflação, para os estudantes que tiverem uma renda por pessoa de até três salários mínimos na família.

A outra modalidade de financiamento, ou a “antiga”, denominada P-Fies, é para os alunos com renda per capita mensal por familiar de até cinco salários mínimos. Nesse caso, a dívida do aluno sofre a incidência de juros relativamente baixos. O valor do financiamento depende de vários fatores. O desconto mensal, que será quitado posteriormente, varia de 50 a 100%.

A burocracia para conseguir a vaga do FIES é bem grande, pois é preciso comprovar a renda de todos os integrantes da família e apresentar diversos documentos, o que varia de faculdade para faculdade. Caso o aluno não comprove a sua situação familiar, poderá perder a vaga. Além disso, em algumas modalidades, é preciso apresentar um fiador.

Ao fim da graduação, o estudante começará a pagar as parcelas do financiamento após 1 ano e meio. O valor pago mensalmente é definido com base na renda da família.

Geralmente, conta-se com o triplo de tempo da graduação para quitar sua dívida. Isso significa que, se o período financiado foi de quatro anos, o aluno terá doze anos para pagá-la.

Caso o estudante não esteja empregado, o valor pago será semelhante ao que foi pago mensalmente durante o curso, ou seja, referente à taxa operacional do banco, coparticipação e seguro de vida. No entanto, o período de pagamento do curso não pode ultrapassar 14 anos.

Qual tipo de financiamento devo escolher?

Sem dúvidas, o aluno deverá procurar por alternativas como bolsas de estudo ou descontos na mensalidade como primeira opção. Além de oferecer o PEP e o FIES, a Pitágoras oferece bolsas de estudo aos seus estudantes.

Caso isso não seja possível, tanto o financiamento quanto o parcelamento são bastante positivos para aqueles que não conseguem arcar com as mensalidades integrais do curso.

O FIES, como falado, oferece poucas vagas. Além disso, é preciso comprovar a renda per capita, o que pode ser de difícil enquadramento para alguns. Dessa forma, conseguir o PEP na Pitágoras é muito mais fácil e simples, visto que basta ser aprovado no vestibular e não é preciso ter feito Enem ou comprovar a renda da família.

Em termos de mensalidade, o PEP é mais interessante, pois o estudante não pagará juros algum. Por outro lado, o FIES, na maioria dos contratos, tem a incidência de juros, que, apesar de serem baixos, fazem a diferença no montante final. O tempo para pagar a dívida é bastante flexível e acessível, em ambos os casos.

Como foi possível conferir neste artigo, as duas opções de financiamento são muito benéficas para o estudante. Independentemente de qual for a escolhida, será possível finalizar a graduação sem prejuízos financeiros e, ao final, pagar com tranquilidade a dívida. Sendo assim, basta que você veja quais são as regras e benefícios de cada um e qual se enquadra melhor em seu perfil.

E então, conseguiu ver as diferenças para escolher entre PEP ou FIES? Esperamos que todas as dúvidas tenham sido sanadas neste artigo! Se você quer complementar as informações sobre o sistema do governo, precisa ler este post sobre Sisu, Prouni e FIES. Confira a diferença entre eles!

*Sujeito à alteração.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

pep

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.