Guia completo: dicas para quem planeja mudar de cidade para estudar

Em um jogo de tabuleiro, o participante deve andar pelas casas, driblando os desafios, até a chegada ao destino final. Com a estabilidade da carreira acontece o mesmo: são várias etapas que encaminham o estudante em direção à sua realização profissional.

Essa jornada tem seu início ainda no Ensino Médio, que é quando ele começa a pensar em opções disponíveis de carreira, de acordo com o que combina com seu perfil. Escolhida a profissão, o próximo passo é definir uma instituição de ensino que será a responsável por proporcionar a sua base de aprendizados e os meios para que se aproxime da atuação na prática.

Nesse cenário, o estudante pode encontrar alguns obstáculos que vão exigir dele uma boa dose de coragem — um deles acontece quando o curso escolhido não é ofertado no local em que mora. O que fazer diante desse contratempo? A resposta ideal para essa pergunta pode estar em mudar de cidade.

Se você está se identificando com essa história e não tem ideia de como colocar essa decisão em prática, chegou ao conteúdo certo! Vamos entender quais são as vantagens da mudança de cidade e como tornar o processo mais simples.

Como bônus, você ainda conhecerá as melhores cidades para fazer faculdade, que têm muito a oferecer aos futuros profissionais de sucesso. Acompanhe!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.

Quais são as vantagens de mudar de cidade?

Mudar de cidade para ingressar no Ensino Superior no Brasil tem sido a realidade de muitos jovens. Esse cenário se tornou ainda mais viável graças às facilidades do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). A partir de 2010, somente com a nota dessa prova, o estudante já podia se candidatar a vagas em diferentes Estados do país.

Anteriormente, era necessário escolher para quais faculdades ele desejava se candidatar e, então, ir até o local indicado para prestar cada um dos vestibulares. Alguns deles contavam com duas fases e exigiam o deslocamento para outras cidades, inclusive. Com esse obstáculo eliminado e a alteração nas formas de ingresso em muitas instituições de ensino brasileiras, diversos caminhos se abriram para quem deseja dar início a uma carreira a partir da graduação.

Então, restavam as demais considerações sobre a mudança. Sabemos que essa decisão não é fácil. Muitas vezes, o questionamento toma conta da mente do estudante, que só consegue pensar: vale a pena mudar de cidade para fazer faculdade? Diante disso, separamos alguns dos benefícios dessa escolha. Confira!

Crescimento pessoal

Sair da casa dos pais é um grande desafio. Lá, a pessoa tem algumas facilidades como comida preparada por algum familiar, cômodos arrumados com frequência e despensa abastecida. Mesmo quando ela ajuda nos afazeres diários, ainda assim conta com a presença de figuras reconfortantes e que passam, de alguma forma, uma sensação de segurança.

Mudar para longe significa uma independência instantânea em diversos aspectos. As responsabilidades se ampliam a qualquer custo. Em sua nova residência, se a pessoa não limpa o quarto, por exemplo, terá que conviver com a desordem e a poeira, pois não terá alguém que o faça — a não ser que invista dinheiro nisso. Como a situação financeira dos estudantes é mais delicada, essa pode não ser a melhor solução.

Por falar em finanças, morando sozinho ou com outros jovens, o estudante terá que calcular quais são seus gastos e fontes de receita, tendo diante de si a possibilidade de contar com a ajuda dos pais ou trabalhar para bancar os estudos. Ele aprende a valorizar o que ganha e, consequentemente, suas conquistas diárias.

Terá que aprender também a cuidar da saúde, muitas vezes, sem que haja alguém que cobre dele mais empenho. Isso porque com a correria das aulas e trabalhos, o fast food e os snacks vão parecer mais práticos. Mas ao longo do tempo, ele vai perceber que esses alimentos não contribuem em nada com a sua produtividade.

É com essas pequenas escolhas responsáveis do dia a dia que há o crescimento pessoal. O estudante pode nem notar logo de cara, mas ao fim da graduação, ele será uma pessoa completamente diferente: mais madura, segura de suas decisões e com bastante vivência. Isso conta bastante no momento de uma entrevista de emprego — e os recrutadores vão apreciar seus esforços.

Viver novas experiências

Essa talvez seja uma das mais gratas vantagens que o estudante percebe ao mudar de cidade. Quando ele viveu grande parte da infância e adolescência em um local pequeno, por exemplo, as experiências possivelmente eram limitadas. Em algum momento, os acontecimentos deixaram de ter aquele caráter de novidade para se tornarem rotineiros.

A mudança é como um recomeço. Tudo na cidade será novo e precisará ser explorado para a sobrevivência desse estudante. Se ele não souber andar pelo centro para encontrar os materiais que precisa para a faculdade ou as linhas de transporte público para se deslocar, sua vida será bem mais complicada.

Aumentar a rede de contatos

Tomando como exemplo esse jovem que mora em cidade pequena. Durante toda a sua vida, ele teve contato com um número limitado de pessoas: desde o vizinho da frente de casa até os colegas de escola que moram do outro lado do município. Sua convivência se restringe aos mesmos assuntos — o que não é de todo ruim, mas não oferece todos os aprendizados de que um profissional de sucesso necessita.

Ao mudar de cidade, sem conhecer ninguém, um mundo de possibilidades se abre diante dele. Para dar conta dos pequenos desafios do dia a dia — desde a busca pela moradia ideal até descobrir como funciona o transporte público local —, ele precisa conversar com outras pessoas. Nessas interações, vai ampliando sua rede de contatos.

Muito se engana quem pensa que somente os contatos profissionais são válidos para essa fase da vida da pessoa. Ao fazer amizade com algum vizinho ou prestador de serviços, por exemplo, ela terá apoio quando necessário e conviverá com realidades completamente diferentes da sua. Logo, sua visão de mundo se expande, o que o ajudará em diversos momentos dali em diante.

Ter acesso a melhores oportunidades

Se o estudante sente a necessidade de mudar de cidade, um dos motivos principais é a busca por melhores oportunidades. E isso não quer dizer que as encontrará apenas na faculdade, embora essa seja o local mais possível.

Em grandes centros comerciais, por exemplo, as empresas abrem novas vagas de emprego com mais frequência, o que possibilita a ele sair com um contrato profissional logo após sua formatura — em alguns casos, até mesmo antes. Isso significa dar prioridade à carreira para, no futuro, colher bons resultados.

Além disso, existem as oportunidades de conhecer regiões que podem ter uma cultura diferente da que a pessoa estava acostumada. Com isso, ela aprende a lidar com o novo, o que contribui para a aquisição de competências como tolerância, flexibilidade e empatia. Logo, os resultados são notados no mercado de trabalho, que aprecia profissionais com tais qualidades.

Essas são algumas das vantagens de dizer sim para a mudança de cidade. Mas você sabe como fazer as melhores escolhas ao colocá-la em prática? É o que veremos no próximo tópico. Não deixe de acompanhar!

Como fazer a mudança de cidade na prática?

Até aqui, você deve ter percebido que mudar de cidade não requer apenas a coragem de sair de casa. É necessário cuidar de cada passo dali em diante para garantir que a sua estadia pelos próximos quatro ou cinco anos seja o mais positiva possível. Antes de empacotar as suas melhores roupas e seguir viagem, que tal ficar por dentro de algumas dicas para ser bem-sucedido?

Pesquise sobre a cidade

Antes mesmo que definir, de fato, que aquela localidade é a ideal para você por causa do curso, faça uma pesquisa aprofundada sobre ela. Entenda como é a cidade, seus meios de locomoção, a receptividade de seu povo e, em especial, o mercado de trabalho para a sua área de interesse.

De nada adianta escolher o curso com que sempre sonhou se não tiver algumas experiências práticas para pavimentar a sua base profissional. Então, não deixe esse aspecto ficar de fora da sua checklist.

Leia notícias nos principais portais do município, procure por relatos de visitantes nas redes sociais e, se conseguir, converse com moradores — eles serão a melhor fonte para compreender se o local atenderá às suas expectativas e combinará com o seu perfil.

Planeje a mudança

Assim que decidir, um pouco mais de paciência! Uma mudança exige bastante comprometimento da pessoa e pode ser uma situação bem desgastante. É preciso se preparar física e emocionalmente para deixar a casa dos pais e levar o essencial para o novo capítulo de sua vida.

Primeiramente, o estudante deve entender se será necessário levar alguns móveis ou eletrodomésticos na mudança, além das roupas e outros pertences pessoais. Caso seja imprescindível, contratar um carreto entrará na lista de investimentos para esse momento.

Se ele optar por levar apenas os pertences de menor volume, uma viagem de carro ou ônibus será suficiente para concluir essa etapa. Assim, poderá passar para a próxima, que é verificar se vai chegar direto à sua nova residência ou se precisará se hospedar em um hostel ou pensão até que encontre a moradia para os próximos anos.

No momento de dar entrada na nova casa ou apartamento, é preciso checar as políticas relacionadas ao dia da mudança. Alguns locais estipulam horários disponíveis e necessitam de cuidados especiais, por exemplo.

Escolha onde você quer morar

Há duas principais opções quando um estudante precisa sair da casa dos pais: morar sozinho ou optar por uma república. A liberdade é a principal vantagem da primeira escolha, mas vem acompanhada por inúmeras responsabilidades e, talvez, pela sensação de ficar muito só. Será preciso lidar, desacompanhado, com todas as despesas e obstáculos que a moradia apresentará ao longo dos anos.

Por outro lado, mesmo com menos privacidade, dividir uma casa ou apartamento nos moldes de uma república estudantil é um facilitador. Com a partilha de contas e tarefas domésticas, sobrará mais tempo e dinheiro para que ela possa se dedicar aos estudos e ter momentos de lazer.

Além disso, será possível ter companhia sempre que precisar, seja para as alegrias, seja para os imprevistos. Se os outros estudantes forem do mesmo curso, é possível montar um grupo de estudos para as semanas de prova e para os trabalhos rotineiros. Por outro lado, com graduações diferentes, eles podem trocar experiências valiosas sobre suas áreas de atuação e aprendizados.

Quando se escolhe uma república estudantil para chamar de lar, ainda há duas possibilidades: ter seu próprio quarto ou dividir o cômodo com uma ou mais pessoas. O estudante deve avaliar quanto tempo passa na residência e se sente uma necessidade maior de ficar sozinho em alguns momentos. Se não se importar com a companhia, a segunda opção garante ainda mais economia.

Busque moradia perto da faculdade

Outra escolha que ajuda a economizar dinheiro, além de optar por uma república, é procurar um local para morar que seja próximo da faculdade. Dessa forma, não será preciso depender de transporte público para estar no campus. O estudante pode usar esse tempo extra para colocar as matérias em dia e descansar.

Além disso, se algum assunto urgente surgir, e ele se sentir na obrigação de estar na faculdade em pouco tempo, não terá problemas — basta andar algumas quadras até a chegada no local.

Aprenda a se organizar financeiramente

Muitos dizem que os estudantes “raiz” sobrevivem com um lanche e algumas moedas para o xerox. Verdadeira ou não, essa máxima traz uma importante consideração: viver com pouco durante a faculdade é possível. Afinal, a pessoa está indo em busca de uma estabilidade e da construção de uma carreira, então, as dificuldades certamente farão parte dessa etapa.

Como vimos, a situação financeira de um universitário, muitas vezes, não é das melhores. Por isso, aprender a economizar e cuidar de seu dinheiro desde os primeiros dias na nova cidade vai ajudá-lo a se organizar melhor e escolher prioridades.

Mantenha o contato com a família

Por fim, é importante que a pessoa mude de cidade, mas não altere a própria essência. Não quer dizer que seu novo lar fará com que ela se esqueça dos familiares, amigos ou quaisquer relacionamentos que criou no local em que morava anteriormente.

Manter contato com esses grupos de pessoas vai ajudar até mesmo nas situações em que os estudos estiverem muito puxados, e o estudante estiver enfrentando dificuldades. Pode encontrar neles um apoio para seguir adiante com confiança e determinação. Um pouco de incentivo não faz mal a ninguém, não é mesmo?

Caso não consiga fazer visitas com frequência (devido à distância ou às finanças), o estudante pode contar com a ajuda da tecnologia para amenizar a saudade. Com aplicativos de mensagem e de vídeo, é possível conversar nos momentos livres e buscar esse conforto emocional.

Quais são as melhores opções de cidades para estudar?

Agora que vimos o quanto a mudança de cidade pode ser benéfica e como fazê-la na prática, você possivelmente está mais próximo da tão esperada tomada de decisão. Escolher um município onde vai estudar vai depender de diversos fatores, principalmente relacionados à sua personalidade e necessidades pessoais ou profissionais.

Mesmo assim, há opções para as mais distintas preferências: desde grandes cidades e centros comerciais a locais mais tranquilos. Para ajudar, listamos abaixo algumas sugestões interessantes, de localidades em diversos Estados do país e que oferecem boas oportunidades no mercado de trabalho.

Vamos conhecer as sugestões?

Belo Horizonte

A capital mineira é uma cidade grande que traz muitos aspectos de interior. Os moradores são receptivos e estão dispostos a ajudar no que for necessário. Além disso, ela oferece boa infraestrutura para realizar os principais serviços e traz consigo belas paisagens para os dias de lazer.

Na área de tecnologia, principalmente, Belo Horizonte proporciona boas oportunidades para quem deseja dar seus primeiros passos no mercado de trabalho. Há muitas startups com crescimento notável e que abrem vagas com frequência.

O trânsito pode ser um complicador, caso a faculdade fique um pouco longe do local que a pessoa escolher para morar. Mas isso é super normal, principalmente levando em consideração o tamanho da cidade e a quantidade de habitantes que circulam todos os dias. Por isso é tão importante colocar esse fator na sua checklist de mudança.

Jundiaí

Das cidades de médio porte, Jundiaí é a que oferece melhor qualidade de vida, de acordo com o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM). A pouco menos de 60 km da capital São Paulo, ela traz vantagens como tranquilidade, sem que se percam as ofertas de emprego e demais oportunidades profissionais.

É também bastante oportuna para quem deseja morar um pouco mais distante da agitação de São Paulo, mas deseja visitar suas atrações aos finais de semana e momentos de lazer. É possível se deslocar entre as duas localidades com cerca de 1h de carro, o que reforça o benefício da mobilidade urbana.

Guarapari

Sempre quis morar em uma cidade com praia que tenha boas oportunidades profissionais e ótimas opções de lazer? Guarapari pode ser uma opção para você. Localizada ao sul do Espírito Santo, fica a 58 km de distância da capital Vitória.

Por fazer parte de uma região turística, possibilita ao estudante uma convivência maior com diferentes culturas e realidades. Além disso, o forte comércio movimenta a cidade e possibilita uma infraestrutura imobiliária de excelência.

Maceió

Quer morar em uma capital, mas contar com a tranquilidade de uma região litorânea? Maceió é um excelente destino para receber estudantes em seu período de graduação. O custo de vida é relativamente mais baixo quando comparado a outras cidades com o mesmo porte e a segurança faz parte do cotidiano de sua população.

Com belíssimas praias, as paisagens podem dar aquele ânimo que o universitário precisa para ter foco nos estudos. Assim como Guarapari, o turismo proporciona oportunidades tanto de trabalho quanto de contato com novas culturas — favorecendo ainda mais o networking.

As variações climáticas não serão um grande problema para os novos moradores da capital, uma vez que ele praticamente não se altera durante todo o ano. Além disso, o povo acolhedor torna a convivência ainda mais tranquila.

Fortaleza

A capital do Ceará é outra das melhores cidades para se morar no Nordeste. Com um custo de vida acessível, Fortaleza ainda tem o terceiro melhor IDH quando se analisa as regiões metropolitanas do Brasil. Isso significa que fatores como renda per capita, educação e longevidade atendem bem a população.

Assim como Belo Horizonte, o trânsito pode ser um ponto de atenção para os estudantes. Porém, o sistema de transporte público conta com um metrô com mais de 45 km de extensão, além das diversas linhas de ônibus que também fazem integração com as estações metroviárias.

O mercado de Fortaleza está sempre em busca de profissionais qualificados, com uma economia também aquecida devido ao turismo. O sistema de saúde conta com excelentes hospitais, sem falar das incríveis paisagens naturais que dialogam com a arquitetura moderna.

Londrina

Segunda maior cidade do Paraná, Londrina tem uma população superior aos 500 mil habitantes. Um de seus maiores atrativos é a empregabilidade. Agricultura, comércio e serviços são predominantes na região, sendo referência no que tange o mercado de trabalho.

Escolhendo essa cidade, você estará vivendo em um grande município, mas mesclando caraterísticas do estilo de vida de estudar em uma faculdade do interior. Quando comparada à capital, ela apresenta melhores índices de segurança. Pela quantidade de instituições de ensino que se instalaram em Londrina nos últimos anos, ela se tornou uma área bastante receptiva aos universitários. Em consequência disso, movimenta o campo da cultura com grandes produções artísticas e audiovisuais.

Lembrando que essas são apenas algumas sugestões das melhores cidades do Brasil para trabalhar. Nesse momento de escolha, leve em consideração principalmente a sua área de interesse: desde as especificidades do curso até o campo de atuação nas proximidades.

Vale ressaltar também que é importante optar por faculdades que ofereçam boa infraestrutura para colocar os conhecimentos em prática, um corpo docente qualificado e atualizado, além da excelência no ensino e alta empregabilidade ao finalizar a graduação.

Se o estudante precisar mudar de cidade para isso, vimos que não há problemas! O caminho até o sucesso profissional é longo e envolve coragem para tomar decisões difíceis. Para colocar em prática a mudança, são mais pequenas decisões a serem tomadas. Mas, com as dicas deste post, esse passo se tornará bem mais simples, não é mesmo?

Quer deixar tudo isso mais simples ainda? Saiba que a Pitágoras está em cada uma dessas cidades com cursos presenciais e semipresenciais, unindo qualidade e ótimo custo-benefício!

Aproveite que você descobriu bastante sobre a mudança de cidade para fazer uma graduação e compartilhe essas informações com seus amigos nas redes sociais, contribuindo para que eles também tenham mais possibilidades de escolha de faculdade!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 4

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content