Gerações X, Y e Z: como cada uma delas atua no mercado de trabalho?

gerações x y e z

Dependendo do ano em que você nasceu, você vai pertencer a uma determinada geração e isso não tem a ver apenas com idade. As gerações X, Y e Z, que representam boa parte do mercado de trabalho, têm diferentes objetivos, pontos de vista e pensam de uma forma única.

Mesmo assim, precisam trabalhar juntas em empresas, o que pode gerar atritos entre elas. Um líder da geração X, às vezes, tem problemas em manter um colaborador do estágio ou trainee, que pertence à geração Z, simplesmente por não entendê-lo. Ao mesmo tempo, se uma pessoa da geração X está tentando se inserir profissionalmente, vai encontrar dificuldades em relação às tecnologias do futuro no mercado de trabalho.

Acompanhe!

Como começou essa história de gerações?

Na aula de História, você certamente já aprendeu sobre os baby boomers — que são as pessoas nascidas entre 1946 e 1964. O que marca essa geração é o fato de que vieram ao mundo após a Segunda Guerra Mundial, quando os países apresentaram um rápido aumento da natalidade.

Desde então, muitas campanhas de marketing do futuro, programas de televisão e a indústria se voltaram para essas pessoas, que formavam uma parte importante da população consumidora. Hoje, as gerações X, Y e Z também são o foco da publicidade, fazendo com que as marcas tenham que lidar com diferentes idades ao anunciar. No mercado de trabalho, o mesmo acontece.

Quais são as gerações que participam do mercado de trabalho hoje?

Com a expectativa de vida crescendo ano a ano, o mercado de trabalho é caracterizado pelas múltiplas gerações, como a X, Y Z e os baby boomers, mesmo que sua participação seja menor. Existe também a geração Alpha (começa em 2010) — mas esses ainda não fazem parte do mercado, já que têm por volta de 10 anos.

Por isso, vamos focar as principais. Entenda melhor o conceito sobre as pessoas das gerações X, Y e Z.

Geração X

A geração X vem na sequência dos baby boomers: são as pessoas nascidas depois de 1960, até o comecinho dos anos 1980. Para quem é desse período, um curso superior, por exemplo, já era uma garantia de estabilidade financeira — bem diferente de hoje em dia.

São pessoas que já nasceram sob a influência de movimentos hippies e questionamentos por mais direitos, como a liberdade sexual e o direito ao voto das mulheres.

Ao mesmo tempo, valorizam a segurança e a estabilidade profissional. Por isso, nem sempre questionam a superioridade dos líderes e estão acostumados a funções de subordinados. Quando passam a cargos de alta hierarquia, podem ter dificuldade em delegar e não aceitam argumentações.

A tecnologia é um ponto crucial e que traz muitas incertezas para essa geração, já que a evolução acontece, principalmente, a partir dos anos 2000. Em um estudo publicado pela Harvard Business Review, a geração X acreditava que as tecnologias, em geral, teriam um baixo impacto em seu trabalho — o que se mostrou bem diferente. Outro ponto é que nem todos aceitam bem as mudanças.

Geração Y

A geração Y também recebe o nome de millennials: são os nascidos entre os anos 1980 e o fim dos anos 1990. A principal característica tem a ver com a tecnologia, uma vez que estão rodeados delas desde a infância. Boa parte cresceu em casas com computadores, videogames e acesso à internet.

Dessa maneira, o imediatismo é uma característica comum a essa geração — não apenas no acesso à informação, mas na necessidade de progredir rapidamente na carreira. São pessoas que, ao contrário da geração anterior, não têm tanta tranquilidade ao serem subordinadas e buscam progredir para chegar à liderança.

O consumismo é um ponto marcante da geração Y também. Como cresceram em meio a mais facilidades econômicas, consomem bastante sem pensar muito em consequências, a exemplo da sustentabilidade do planeta.

Geração Z

A geração Z nasceu a partir do fim dos anos 90 até 2010: são nativos digitais, já acostumados ao uso de qualquer dispositivo eletrônico. Diferente dos millennials, eles cresceram cercados por causas ambientais, ou seja, na hora de consumir, buscam alternativas mais sustentáveis e são menos consumistas.

No mercado de trabalho, são profissionais que não se satisfazem apenas por ter um cargo e buscam um cargo que os motive e permita o desenvolvimento como seres humanos mais completos. Assim, podem deixar o emprego sem pensar muito, caso não se sintam estimulados.

Novas formas de trabalho, como o home office ou o empreendedorismo, atraem a geração Z muito mais do que um cargo nas grandes e melhores empresas — mas que seja marcado pela rotina e submissão. São jovens que precisam se sentir valorizados e desafiados, caso contrário, perdem o interesse.

Quais as diferenças entre as gerações X, Y e Z no trabalho?

A tecnologia, o acesso à internet e a situação econômica, como um todo, mostram alguns pontos principais de diferença. Nós detalhamos na sequência:

  • geração X: busca mais estabilidade, são comprometidos e não se importam com a rotina;
  • geração Y: quer reconhecimento rápido, busca trabalhos onde possa inovar e não se contenta apenas com o salário;
  • geração Z: gosta de sentir que faz a diferença no mundo com seu trabalho.

Como essas gerações podem trabalhar juntas da melhor maneira?

Com visões tão diferentes, é comum que surjam atritos no ambiente de trabalho. Assim, muitas empresas têm trabalhado para desenvolver os colaboradores e manter a retenção. Mesmo assim, todos podem diminuir os pontos de conflito com alguns cuidados, como:

  • ouvir um ao outro e entender diferentes pontos de vista;
  • fazer pequenas concessões;
  • apostar na empatia, ou seja, colocar-se no lugar da outra pessoa;
  • aprender e se aperfeiçoar com o outro, sem achar que uma geração é melhor ou pior.

Hoje, muitas faculdades trabalham a questão das diferenças em seus cursos. É o que acontece na Pitágoras. A preocupação prioritária é uma formação completa do aluno, promovendo diferenciais em sua carreira. Para isso, temos formas de ingresso facilidades, modalidades de ensino para atender a demandas distintas das gerações e outros benefícios.

Bom exemplo disso é o Canal Conecta. Esse portal de empregabilidade exclusivo para nossos alunos permite que você veja quais vagas têm seu perfil e seja visto por empresas parceiras do canal. Uma ótima chance para conquistar um emprego ou buscar a recolocação profissional!

As diferenças entre as gerações X, Y e Z são naturais de existirem porque, como você viu, essas pessoas nascem em momentos distintos, que impactam seu desenvolvimento. Sabendo do que gera essas divergências, fica mais fácil compreendê-las, não é mesmo?

Gostou de saber mais detalhes sobre as gerações X, Y e Z? Aproveite para nos seguir no Instagram, Twitter, LinkedIn e Facebook. Assim, você fica por dentro de mais conteúdos como este!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content