Financiamento de faculdade: como funciona e quais são as vantagens?

calculadora representando financiamento de faculdade

Ter dificuldades financeiras para investir em qualificação faz parte da realidade de muitas pessoas que convivem com um orçamento apertado. No entanto, é importante não ficar parado e pensar nas soluções para reverter essa situação. Você já ouviu falar em financiamento de faculdade?

A prática consiste em buscar uma linha de crédito para arcar com as mensalidades, tendo parte ou todo o reembolso previsto para depois de obter o diploma. Assim, na hora de pagar, você já será graduado e contará com a empregabilidade do ensino superior.

A seguir, falaremos sobre os principais tipos de crédito estudantil, tanto os públicos como os privados. Continue a leitura para conhecer um caminho interessante para fazer faculdade dentro das suas possibilidades!

O que é um financiamento de faculdade?

Fazer faculdade com financiamento significa usar um crédito com destinação específica: pagar total ou parcialmente um curso superior. Nele, a instituição de ensino recebe os valores de mensalidade via entidades públicas ou privadas, e o aluno faz o reembolso geralmente depois de conquistar o diploma.

A diferença para os empréstimos normais, além do uso obrigatório do crédito para se qualificar, são as condições mais vantajosas para o estudante. Há políticas públicas e privadas para incentivar faculdades com financiamento, tendo em vista o papel na redução da desigualdade social e na promoção da educação no país.

Então, não desista do seu objetivo de conquistar melhores condições de vida por causa dos problemas financeiros. Já falamos no blog da Pitágoras sobre as opções de bolsa de estudo e, logo abaixo, abordaremos o crédito. Procure, ao menos, conhecer as condições existentes antes de tomar uma decisão.

Quais são os tipos de financiamento para faculdade?

Hoje, podemos citar diferentes tipos de financiamento estudantil, cada qual com características próprias. Veja quais opções você pode utilizar para conquistar o seu diploma.

FIES

O Governo Federal mantém um programa para concessão de financiamento com recursos dos cofres públicos. Para acessar o benefício, você deve ter uma nota do Enem com desempenho mínimo de 450 pontos e acima de 0 na redação, em qualquer dos exames realizados nos últimos 4 anos.

O FIES também exige que a renda familiar do interessado seja de até 3 salários mínimos por pessoa. Nesse sentido, a parcela das mensalidades financiada será proporcional a esses vencimentos, podendo gerar benefícios parciais ou integrais.

As condições, por sua vez, são de juros zero. Além disso, o pagamento se inicia com o término do curso, e existe a garantia de poder pagar um valor mínimo caso ainda se não esteja empregado. Para se ter uma ideia, o próprio site do novo FIES estima 14 anos como o período médio de parcelamento, em sua seção de dúvidas.

P-Fies

As novas regras do FIES trouxeram uma modalidade em que a seleção ocorre pelo sistema do benefício público, via Enem. No entanto, o custeio do financiamento é realizado por entidades privadas: o P-Fies.

Nessa alternativa, o que muda é o acesso para pessoas com renda de até 5 salários mínimos, e as condições de pagamento. Isso porque os juros são definidos pelos bancos, que fornecerão o crédito em percentuais mais favoráveis aos praticados no mercado, devido à parceria com o poder público.

Você pode concorrer simultaneamente aos dois tipos de FIES, desde que tenha renda de até 3 salários mínimos. Assim, caso não consiga o financiamento público, pode ver as opções privadas pelo mesmo sistema.

Financiamento bancário

Alguns bancos oferecem linhas de crédito para financiamento estudantil. A principal vantagem, nesse caso, é a flexibilidade para firmar o contrato, principalmente em relação ao período de pagamento.

No entanto, antes de contratar, é preciso ficar bastante atento aos juros para saber se realmente o crédito foi oferecido com benefícios. Pesquise os principais bancos da sua região e compare as condições antes de tomar uma decisão.

Parcelamento estudantil privado (PEP)

Uma alternativa ao financiamento estudantil é o parcelamento. Isto é, nesse caso, você aumenta o número de prestações para que boa parte dos pagamentos fiquem para depois do curso. Na Pitágoras, você pode chegar a 70%* do valor da mensalidade nas diversas modalidades de ensino, sem juros com o PEP.

Outra dica é considerar o ensino semipresencial e o a distância. Como as mensalidades nessas metodologias são mais baixas, você pode combinar com os financiamentos privados para que o valor pago durante o curso chegue a um patamar ainda menor.

Quais são os benefícios de financiar a faculdade?

Com as informações apresentadas até aqui, podemos identificar as vantagens dos financiamentos estudantis, independentemente de o benefício ser total ou parcial.

Taxas de juros reduzidas

Os custos dos empréstimos concedidos com a finalidade de pagar a faculdade são menores do que os geralmente oferecidos no mercado. Ademais, por existirem inúmeras opções, você pode levantar diversas alternativas, sem ficar preso a um único fornecedor do serviço.

Facilidade para fazer o curso superior

Também é importante considerar o papel de inclusão desses créditos. O objetivo da maioria das opções é tornar as mensalidades mais acessíveis, inclusive, com o financiamento para a educação a distância e semipresencial, que já contam com mensalidades com excelente custo-benefício.

Realização de um curso de excelência

O aluno acessa as mesmas turmas de quem paga as mensalidade sem benefícios. Na Pitágoras, por exemplo, você contará com um corpo docente com diversos especialistas, mestres e doutores, infraestrutura de laboratórios e benefícios voltados para a empregabilidade, competindo em pé de igualdade por empregos nas melhores empresas.

Vantagens de pagamento

As condições de pagamentos são bastante favoráveis, principalmente por deixarem as prestações para depois do curso. Assim, você já terá o seu diploma para buscar um bom emprego quando chegar o momento de pagar o empréstimo.

Como financiar a faculdade?

O melhor caminho para conseguir o crédito estudantil é se dirigir à instituição de ensino e verificar quais são opções disponíveis. Principalmente os financiamentos privados podem variar bastante em relação aos juros e condições de pagamento, e a faculdade fornecerá as informações sobre as parcerias existentes.

Posteriormente, verifique toda a documentação necessária e o momento em que é possível realizar a inscrição. Opções como o FIES, por exemplo, tem períodos específicos para realizar a matrícula, assim como os vestibulares. Logo, você deve ficar atento ao calendário e aos procedimentos necessários.

Nesse processo, o apoio da instituição de ensino superior é fundamental. O mais recomendável é consultar a faculdade desejada e perguntar sobre as condições oferecidas. Aqui na Pitágoras, isso pode ser feito pelos canais de atendimento ou presencialmente em nossas unidades.

Vale ressaltar que contamos com diversos convênios para crédito, incluindo as principais opções, como FIES, P-Fies e PEP. Logo, você pode encontrar qual opção está dentro da sua realidade financeira.

Sendo assim, mesmo se você tiver dificuldades para pagar o curso, o diploma pode ser conquistado ao fazer o financiamento da faculdade. Não deixe, portanto, de investir na sua carreira profissional.

Para conhecer o retorno do investimento, acesse nosso conteúdo “6 motivos pelos quais investir na educação deve ser uma prioridade” e complemente sua leitura!

*Sujeito à alteração.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

pep

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.