Esclareça 6 dúvidas sobre financiamento estudantil privado

esclareca6duvidassobrefinanciamentoestudantilprivado

Buscar soluções para viabilizar os estudos é uma das melhores atitudes que qualquer estudante pode fazer para não deixar de lado a construção da sua carreira. Nesse sentido, o financiamento estudantil privado tem sido um grande aliado.

Quem precisa de uma ajuda financeira para inciar um curso de graduação pode recorrer a essa modalidade. Porém, antes de tomar uma decisão importante como essa é essencial estar bem informado.

Você tem interesse nessa oportunidade? Aproveite para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto agora mesmo!

1. O que é um financiamento estudantil privado?

Um financiamento é como pegar um empréstimo para uma determinada finalidade — nesse caso, para pagar as mensalidades referentes a um curso superior em uma instituição de ensino particular.

Esse dinheiro normalmente é cedido por bancos ou instituições financeiras e o interessado precisa assumir uma dívida, que envolve a cobrança de juros. Logo, a diferença é que o valor passa a ser devido para quem ofereceu o financiamento (um banco, por exemplo) e não para a faculdade.

O estudante consegue pagar as prestações dos seus estudos enquanto desembolsa uma quantia menor por mês para quitar aos poucos o seu débito.

2. Quem pode aproveitar essa oportunidade?

Qualquer estudante pode tentar um financiamento privado para fazer um curso superior, até mesmo os que ainda são menores de idade — desde que representados pelos pais ou por um responsável legal na assinatura do contrato.

Outra dúvida semelhante e bastante frequente é relacionada à comprovação de renda. O aluno que não tem renda própria também pode tentar um financiamento com a ajuda de seus pais ou responsáveis.

3. Como funciona esse tipo de financiamento?

Tudo depende do contrato realizado entre o financiador e quem está sendo financiado, pois cada instituição apresenta condições diferentes para emprestar o dinheiro.

Normalmente, um dos principais critérios para que isso aconteça é a comprovação da condição financeira do estudante e do seu compromisso com a faculdade. Ou seja, ele deve demonstrar que a sua renda não consegue cobrir as despesas do estudo e que ele realmente está matriculado em um curso. A parceria entre a instituição credora e a faculdade é um detalhe relevante.

Outro requisito comum é a exigência de um fiador para garantir o pagamento da dívida caso o beneficiário não cumpra esse combinado. Essa é uma maneira de a instituição ficar assegurada da quitação do débito, pois há mais uma pessoa se responsabilizando por ele.

O repasse deve ocorrer diretamente para a instituição de ensino a cada semestre ou anualmente, sem passar pelo estudante. Os demais aspectos do contrato podem variar muito, sobretudo a taxa de juros cobrada e o prazo para pagar a dívida.

Diante dessa variedade de opções, fazer uma boa pesquisa antes de fechar qualquer contrato de financiamento estudantil privado é fundamental.

4. Qual é a diferença do financiamento privado para o Fies?

A maior diferença está no fato de o FIES ser um programa público e não privado. O objetivo do Governo é estimular o acesso ao ensino superior oferecendo juros muito baixos para os brasileiros de baixa renda — inclusive com a possibilidade de juros zero para alguns casos.

Esse é um diferencial muito importante para esse meio de acesso à faculdade, o que faz com que o FIES tenha uma grande demanda. Por isso mesmo, nem todas as pessoas conseguem o financiamento público e as alternativas privadas se tornam um caminho mais viável.

Vale dizer ainda que, além de se encaixar nos critérios do programa, o aluno precisa ter uma nota mínima no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para conseguir o benefício. Na contratação privada essa não é uma exigência.

5. Como ser aprovado no financiamento estudantil?

Quem tiver interesse em fazer um financiamento privado deve se preparar para isso. Depois de pesquisar possíveis instituições financiadoras, é bom seguir algumas recomendações para aumentar as chances de ter o crédito aprovado. Confira dicas para se dar bem nessa missão:

  • tenha o nome limpo, pois qualquer restrição encontrada nos serviços de proteção ao crédito pode ser um empecilho e tanto;
  • tente comprovar uma renda que seja pelo menos o dobro do valor de uma mensalidade, o que pode acelerar a sua aprovação;
  • encontre um fiador com um histórico financeiro positivo;
  • seja consciente e não crie a reputação de um mau pagador para não se tornar um perfil arriscado;
  • faça um planejamento das suas finanças para cortar gastos desnecessários e encaixar a prestação do financiamento nas suas prioridades, especialmente se você deseja renovar o empréstimo no próximo semestre.

Enfim, não há nada que garanta totalmente a concessão do financiamento, como uma receita de bolo a ser seguida para ter sucesso no final do processo. Mesmo assim, essas sugestões ajudam a formar um perfil mais atraente para as instituições de crédito.

6. Como encontrar a melhor opção de financiamento?

O melhor conselho para quem está buscando um financiamento privado é fazer uma pesquisa de mercado minuciosa para avaliar as condições oferecidas por cada instituição.

A ideia é colocar tudo na ponta do lápis para identificar a oportunidade mais vantajosa, com atenção especial para as taxas de juros cobradas e formas de pagamento. Ninguém pode tomar uma decisão como essa sem ter certeza do que está fazendo e sem avaliar se esse é um passo que pode ser dado no momento.

É claro que o que mais importa é conseguir realizar o objetivo de fazer um curso superior e adquirir a capacitação necessária para construir uma carreira na sua área de interesse. No entanto, a escolha de um financiamento precisa ser muito bem pensada, afinal, estamos falando de um sério compromisso financeiro.

Depois de encontrar o melhor financiamento estudantil privado para o seu perfil, não deixe de ser um aluno dedicado para fazer valer todo o esforço. Aliás, seu desempenho será um ingrediente especial para você se formar como um profissional diferenciado e bem-sucedido no mercado de trabalho — o que vai ajudá-lo a ter o retorno sobre o seu investimento.

Ah, mas lembrando que, para ter acesso a todas essas formas de ingresso no ensino superior, é preciso escolher uma faculdade que esteja disposta a oferecer condições facilitadoras para que você possa receber o tão sonhado diploma. A Pitágoras conta com essas oportunidades, pois tem o compromisso com o aluno e foco no seu sucesso!

E se você ainda não conseguiu identificar qual é a melhor opção para você, confira outro tipo de financiamento que também é oferecido pela Pitágoras: o PEP (Parcelamento Estudantil Privado). Quem sabe essa não é mais uma chance de dar início aos estudos?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

pep

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.