Engenharia Mecânica Industrial 4.0: conheça as novidades

Teste Vocacional Rápido

Você provavelmente já ouviu falar na Indústria 4.0, né? Esse termo se refere às mudanças que ocorreram nos últimos anos nos sistemas de produção, marcadas pelas tecnologias digitais e os avanços na automação. Tudo isso está presente no curso de Engenharia Mecânica.

Afinal, pra se destacar no mercado de trabalho e conquistar seu espaço, o futuro engenheiro precisa estar por dentro das maiores tendências da área. É por isso que preparamos este post! Continue a leitura e confira as principais características da Engenharia Mecânica Industrial 4.0!

O que é a Engenharia Mecânica Industrial 4.0?

Podemos resumir o que é Engenharia Mecânica Industrial 4.0 em alguns pilares, como autonomia das máquinas, digitalização de processos e customização de produtos. O papel do profissional é lidar com as diversas mudanças proporcionadas por essa nova dinâmica nos processos produtivos.

Assim, a Engenharia Mecânica Industrial 4.0 gira em torno da busca por soluções que associem as máquinas e os equipamentos industriais às inovações tecnológicas. As melhores faculdades de Engenharia Mecânica estão por dentro dessas demandas e formam profissionais aptos a atuarem no cenário industrial 4.0.

Aqui na Pitágoras, o curso é bastante focado nas tendências do setor. Assim, nossos alunos saem daqui alinhados às novas práticas e necessidades do mercado. Inclusive, têm contato com profissionais conceituados por meio da Aula Destaque, que compartilham sua trajetória e experiência em relação ao campo de Engenharia Mecânica.

Qual é o papel da tecnologia e inovação no futuro da Engenharia Mecânica?

Se você já parou pra pesquisar tudo sobre Engenharia Mecânica, sabe que as atribuições do profissional giram em torno do projeto, fabricação e manutenção de máquinas e equipamentos mecânicos, certo? Pois bem, na Indústria 4.0, essas tarefas estão intimamente relacionadas à tecnologia e à inovação.

As demandas atuais de consumo exigem soluções rápidas, inteligentes e personalizadas. Pra dar conta de atender a essas exigências, os processos produtivos precisam da tecnologia –– desde a coleta e a análise de quantidades enormes de dados, passando pela tomada de decisões, compartilhadas por humanos e máquinas, até chegar à atuação de equipamentos inteligentes e conectados.

Os softwares e sistemas mecânicos a cada dia mais eficientes permitem que o trabalho do engenheiro ganhe muito. As soluções tecnológicas proporcionam mais agilidade, acesso à informação e menos erros, três características indispensáveis no mercado de hoje. 

Quais são as mudanças já vistas no contexto de futuro da Engenharia Mecânica?

Agora que você já entendeu melhor a relação entre Engenharia Mecânica e tecnologia, que tal conhecer as principais inovações tecnológicas que já são colocadas em prática na Indústria? Olha só algumas delas!

Máquinas autônomas

Um dos carros-chefe da Indústria 4.0 são os sistemas mecânicos que conseguem processar informações e realizar tarefas de forma autônoma, isto é, sem a supervisão humana direta. 

Isso é possível por meio da Inteligência Artificial, que proporciona às máquinas a capacidade de tomar decisões com base em uma programação. Não à toa, a grade curricular de Engenharia Mecânica conta com a disciplina de Algoritmos e Lógica de Programação.

Desse modo, em vez de ter um operador manuseando os equipamentos o tempo todo, as indústrias modernas contam com parques fabris que praticamente funcionam sozinhos. Além disso, o aprendizado de máquinas (Machine Learning) faz com que os equipamentos consigam identificar padrões e, assim, aprender novas soluções por conta própria. 

Robôs colaborativos

Agora, quando falamos de máquinas autônomas, não pense que as fábricas do futuro não têm seres humanos. A ideia central da Indústria 4.0 é a colaboração entre pessoas e máquinas. Isso é ainda mais evidente no uso de robôs projetados especificamente pra produção industrial: os robôs colaborativos ou cobots.

A robótica colaborativa é uma grande revolução no sistema produtivo, já que com ela os processos são otimizados e o capital humano é valorizado. Isso mesmo! Afinal, os robôs podem desempenhar tarefas repetitivas, com riscos de lesões e que exigem um esforço desnecessário para os operadores.

Parque fabril inteligente

Não bastam máquinas autônomas e robôs colaborativos: na Indústria 4.0, todo o parque fabril é inteligente e funciona de forma integrada. Pra tanto, a palavra-chave é interoperabilidade, isto é, a capacidade de comunicação entre sistemas instantaneamente. 

Por mais que esse pilar seja mais do campo da Engenharia Eletrônica, o engenheiro mecânico também tem seu trabalho afetado pelas soluções tecnológicas que tornam a interoperabilidade possível, como:

  • Big Data — processamento avançado de quantidades massivas de dados;
  • Cloud Computing — os dados processados são compartilhados e analisados por diversos dispositivos por meio da tecnologia de armazenamento em nuvem;
  • Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) — na IoT, os diversos equipamentos e máquinas são conectados com outros dispositivos, sendo incorporados com sensores e softwares pra trocarem informações;
  • Cyber Security — com tantos dados circulando no parque fabril, a segurança cibernética é outro ponto fundamental na Indústria 4.0.

Manufatura aditiva

Outra tendência da Engenharia Mecânica Industrial 4.0 é a manufatura aditiva, que engloba uma série de tecnologias pra criação de modelos e simulações digitais, sobretudo por meio das impressões 3D. Assim, são criados protótipos em velocidade recorde pra acompanhar a customização em massa.

As simulações digitais também são utilizadas na Engenharia Mecânica pra análises virtuais do funcionamento do maquinário e das linhas de produção. Essa solução, assim como a realidade aumentada (RA), permite a identificação precoce de falhas e a inspeção mais segura dos equipamentos. 

Quais são as tendências para os próximos anos na Engenharia Mecânica?

Como você viu, as mudanças trazidas pela Indústria 4.0 têm como objetivo otimizar os processos produtivos, e a tendência é que as soluções digitais façam cada vez mais parte dos parques fabris. Desse modo, o mercado de trabalho de Engenharia Mecânica continua muito aquecido.

A Indústria 4.0 só veio pra ampliar ainda mais a empregabilidade para os engenheiros mecânicos, que já é altíssima. De acordo com o Portal Salário, que utiliza dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo CAGED) e do eSocial, houve um aumento de mais de 65% no número de contratações formais entre 2020 e 2021.

Os dados também revelam que essa profissão tem uma ótima média salarial: pra jornadas de 42 horas semanais, o engenheiro mecânico ganha em torno de R$ 8,6 mil*. Nada mal pra conquistar a independência financeira e ter um futuro bem-sucedido, concorda?

Para os próximos anos, os profissionais podem contar com um cotidiano de trabalho cada vez mais próximo dos computadores, que se tornaram os melhores aliados das engrenagens no contexto industrial. O desenvolvimento e a gestão robótica também são uma tendência definitiva e que merece atenção.

Aproveite esse cenário!

Como deu pra ver, a Engenharia Mecânica Industrial 4.0 é marcada por uma série de inovações tecnológicas que associam os equipamentos mecânicos às soluções digitais. Essas tendências têm tudo pra se intensificar e, portanto, começar a faculdade o quanto antes é uma excelente ideia pra garantir uma boa colocação profissional no futuro.

Então, o que está esperando? Inscreva-se já no vestibular Pitágoras e comece o seu curso de Engenharia Mecânica o quanto antes!

*Sujeito a alterações

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Skip to content