Engenharia de Produção: tudo que você precisa saber sobre o curso

engenharia de produção

Teste Vocacional Rápido

Engenharia de Produção é uma carreira que tem como principal papel aprimorar os processos de diferentes tipos de negócios — indústrias, transportadoras, distribuidoras de energia, companhias aéreas etc. — com o menor custo possível. Entre as várias áreas da Engenharia, ela é uma das que mais depende das Ciências Humanas.

Por esse motivo, é uma ocupação perfeita pra quem gosta de disciplinas como Administração, Gestão de Pessoas e Economia. Mas o aluno desse curso também precisa de afinidade com as matérias clássicas da Engenharia, como Física, Matemática e Química.

Além disso, se você sonha com bons salários, essa atividade pode abrir muitas portas. Afinal, o mercado de trabalho nesse setor é enorme. Apesar de todas essas vantagens, às vezes surgem dúvidas sobre o que escolher, né?

Pra te ajudar a saber se vale a pena fazer faculdade de Engenharia de Produção, preparamos este post. Vem com a gente nesta leitura!

O que é e como funciona o curso de Engenharia de Produção?

Muitos estudantes têm curiosidade em descobrir o que é a Engenharia de Produção e como é a sua rotina prática. Afinal de contas, frequentemente, ouvimos dados superficiais sobre um ofício, mas temos uma ideia muito vaga do que ele significa no cotidiano.

Desse modo, é importante entender que o engenheiro de produção executa serviços de otimização de processos, planejamento, táticas pra redução de gastos, entre outros. De uma forma ou de outra, a atuação desse profissional sempre é ligada ao objetivo de ampliar a produtividade e o rendimento.

Hoje em dia, essa vertente da Engenharia está bastante valorizada, uma vez que ela tem um laço forte com a inovação tecnológica. Frequentemente, os colaboradores com essa graduação são convocados a participar de projetos de automação industrial.

Mas também tem engenheiro de produção em quase todas as iniciativas da logística. Ou seja, esse profissional exerce um desempenho de protagonismo na empresa. Aliás, ajudar a encontrar e a se livrar dos gargalos de produtividade é mais uma de suas inúmeras funções.

Assim, as atividades dessa Engenharia são muito diversificadas: planeja o fluxo de trabalho, controla o ritmo produtivo, avalia a qualidade do produto e integra diferentes setores de uma companhia.

Estamos falando de tarefas com peso expressivo no resultado financeiro. Nesse quadro, ela é uma das profissões mais bem-pagas do mercado de trabalho.

Pra preparar os estudantes à altura das necessidades do setor, o curso investe em conhecimentos de Gestão Financeira, de Gestão de Pessoas, Gestão de Projetos etc.

Geralmente, o engenheiro de Produção fica envolvido com áreas sensíveis pra qualquer empreendimento: organização estrutural, monitoramento do fluxo de trabalho, técnicas de estocagem, transporte, entre outras.

Quais disciplinas compõem a grade curricular?

Não existe uma grade curricular única pra Engenharia de Produção. Dessa forma, cada instituição educativa apresenta uma abordagem de ensino própria. Apesar dessas diferenças, na maioria dos casos, os primeiros 2 anos são voltados às disciplinas mais gerais e teóricas.

Nos primeiros semestres, os alunos recebem fundamentos de Cálculo, Física, Administração, Economia, Computação e por aí vai. Depois desse período de aprendizado mais básico, começam os temas específicos, como Logística Empresarial, a Engenharia de Tráfego, Algoritmos e Lógica de Programação.

Nesta última fase da faculdade, você já pode fazer o estágio obrigatório. Essa experiência vai trazer a prática do dia a dia. Ao final do curso de Engenharia de Produção, deve apresentar um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso).

Veja a seguir um exemplo de grade curricular.

  • Análise de Custos;
  • Cálculo Diferencial e Integral;
  • Cálculo Numérico;
  • Comportamento Organizacional;
  • Controle e Automação de Processos Industriais;
  • Controle Estatístico da Qualidade;
  • Desenho Auxiliado por Computador;
  • Desenho Técnico;
  • Desenvolvimento de Produto;
  • Empreendedorismo;
  • Engenharia De Métodos;
  • Engenharia e Profissão;
  • Ergonomia;
  • Fenômenos de Transporte;
  • Geometria Analítica e Álgebra Vetorial;
  • Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos;
  • Gerenciamento e Controle de Qualidade;
  • Gestão da Manutenção;
  • Gestão da Produção;
  • Gestão de Operações e Serviços;
  • Gestão de Projetos;
  • Gestão de Recursos Naturais e Energéticos;
  • Homem, Cultura e Sociedade;
  • Legislação, Segurança do Trabalho e Meio Ambiente;
  • Metodologia Científica;
  • Metrologia e Controle Geométrico;
  • Pesquisa Operacional – Programação Matemática;
  • Pesquisa Operacional – Simulação;
  • Planejamento Estratégico;
  • Planejamento, Programação e Controle de Produção;
  • Princípios de Eletricidade e Magnetismo;
  • Probabilidade e Estatística;
  • Processos de Fabricação;
  • Processos Estocásticos;
  • Projeto de Fábrica e Instalações Industriais;
  • Química e Ciência dos Materiais;
  • Resistência dos Materiais;
  • Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação.

Quanto tempo o curso dura?

A faculdade de Engenharia de Produção dura cerca de 5 anos. Essa graduação de nível superior garante o título de bacharel. Além disso, no Brasil, é permitida a aprendizagem presencial e a distância. Pra ter direito ao diploma, você precisa apresentar o TCC e comprovar um mínimo de 160 horas de estágio.

Qual é o perfil de um engenheiro de Produção?

Como já vimos, a carreira de Engenharia de Produção é perfeita pra quem gosta da área de Matemática e Cálculos, mas não se limita aos conhecimentos da área de Exatas.

Por isso, a primeira característica do perfil profissional é ser versátil nos ramos do conhecimento. Afinal, é preciso saber se relacionar, liderar colaboradores e ter a mente aberta pra aprender novas tecnologias.

Como o principal objetivo é ajudar as empresas naquele lema de “fazer mais com menos”, a criatividade é indispensável nessa profissão. Ou seja, precisa ser proativo pra encontrar novas soluções.

Mais uma habilidade importante é ter boas noções de Economia e Finanças. Além disso, Inglês e uma terceira língua são altamente desejáveis. Isso porque muitas empresas são multinacionais ou contam com trabalhadores estrangeiros.

Veja a seguir um resumo bem didático sobre o que faz um engenheiro de Produção e quais são os principais atributos pra ter sucesso nessa profissão:

  • visão de negócios: prever cenários e perceber novas chances de crescimento;
  • versatilidade: perfil profissional multitarefa pra tocar vários projetos ao mesmo tempo;
  • capacidade de se relacionar: o engenheiro de Produção vai trabalhar em equipe, mesmo quando estiver prestando serviços como terceiro;
  • habilidade para liderar: a gestão de pessoas é uma das incumbências desse tipo de cargo;
  • criatividade: ter talento pra apresentar novas ideias corriqueiramente;
  • conhecimento de Tecnologia e Computação: contribuir com a estruturação de infraestrutura de TI, escolhendo e ajudando a desenvolver softwares. Além disso, deve dominar a operação de programas avançados como o SolidWorks, o Scilab, o MatLab, o ProModel, o QiBuilder, o Eberick etc.;
  • noções de controle da qualidade: implementar e corrigir modelos de processos;
  • alicerce financeiro bem fundamentado: elaborar planejamentos orçamentários, analisar custos e criar programas de redução de gastos;
  • destreza em logística: criar padrões de controle de estoque, de produção, de distribuição, de entrega etc.

Como conseguir uma bolsa para o curso de Engenharia de Produção?

Não é novidade que, no Brasil, os estudantes não têm as mesmas condições financeiras e de vida pra terem acesso à faculdade, né? Por causa do valor das mensalidades em escolas superiores privadas e da dificuldade em passar nas públicas, muita gente desiste. Mas você não precisa deixar que isso aconteça.

Afinal, trata-se de um investimento que vale a pena, uma vez que essa graduação é um dos cursos de Exatas em alta. Porém, apesar disso, você pode pensar: “mesmo tendo interesse e muita força de vontade, não tenho condições financeiras de custear a faculdade de Engenharia de Produção”.

Calma! Aqui vai a boa notícia: dá pra correr atrás de financiamentos estudantis e programas de bolsas de estudo das instituições. Confira a seguir alguns caminhos pra obter o desconto e até mesmo a liberação total do pagamento na graduação!

Prouni

O Prouni (Programa Universidade para Todos) concede bolsas de 50% e de 100%. Esse é um projeto do Governo Federal, e o interessado precisa preencher alguns pré-requisitos. Por exemplo: são estipulados limites de renda, porque a ideia do projeto é amparar os estudantes com dificuldades financeiras.

Além disso, pra concorrer a uma vaga por essa iniciativa, é exigido ter feito a última edição do Enem. Mais uma imposição aos candidatos são 450 pontos mínimos nesse teste e nada de zerar na redação.

As regras ainda não acabaram: o candidato deve ter cursado o ensino médio em escolas públicas ou ter sido bolsista integral em instituições de ensino privadas.

Bolsa Enem

Muitas faculdades particulares também concedem descontos conforme a nota do Enem. Nesse caso, é preciso conferir as regras de cada entidade educadora. Abaixo, segue uma relação de pontos/abatimentos de preços que costuma ser praticada nas escolas superiores privadas:

  • até 600 pontos: 10% ;
  • de 601 a 750 pontos: 20%;
  • de 751 a 900 pontos: 80%;
  • acima de 901: 100% .

Bolsa Incentivo

Na hora da fazer a inscrição no vestibular, procure saber se a faculdade oferece programas sociais pra calouros. Desse modo, dá pra conquistar descontos pelo chamado Bolsa Incentivo, feito pra ajudar quem tem renda insuficiente pra ingressar no meio acadêmico.

Bolsa Primeiro Semestre

Mais uma modalidade de estímulo ao estudo superior é a Bolsa Primeiro Semestre. Nesse caso, ela também é destinada aos estudantes novatos, mas vale somente no primeiro período da formação. Geralmente, os abatimentos nos valores das mensalidades chegam a até 20%.

Onde o profissional de Engenharia de Produção pode atuar?

Agora que você já sabe o que é a Engenharia de Produção, chega o momento de descobrir por quais caminhos ela pode te levar. Tenha consciência de que essa é uma das melhores profissões atualmente.

Pra se ter uma ideia, o leque de setores que empregam esse tipo de colaborador é muito amplo. Observe algumas das áreas que precisam de engenheiros de produção:

  • indústria (automotiva, mecânica, química, metalúrgicas etc.);
  • comércio (grandes redes varejistas, por exemplo);
  • serviços (companhias aéreas, transporte de cargas, ensino a distância, entre outros negócios);
  • turismo (redes hoteleiras, cruzeiros, empresas de software de hospedagem e assim por diante);
  • distribuição de energia;
  • órgãos públicos;
  • telecomunicações;
  • mercado financeiro.

Além desses segmentos, existem subdivisões dentro da Engenharia de Produção nas quais o profissional pode se especializar. Ao contrário de outras carreiras, que acabam demitindo por conta da atual crise econômica, ela tende a crescer.

Isso porque, como já explicamos, o papel do profissional é traçar alternativas pra evoluir gastando menos recursos. Portanto, em um cenário de recessão, cada vez mais as empresas dependem desse tipo de especialista.

Confira algumas possíveis áreas pra trabalhar.

Engenharia de operações e processos de produção

Participa ou coordena projetos pra aperfeiçoar e corrigir processos. Esse tipo de engenheiro de produção também planeja, cria cronogramas e monitora o andamento produtivo. Pode, ainda, atuar em manutenção e Engenharia de Métodos.

Logística

O curso de Engenharia de Produção traz um conhecimento consistente pra trabalhar com logística. O profissional apresenta ideias novas sobre transporte, controle do estoque, triagem de insumos e muito mais.

Nessa vertente da Engenharia, ele precisa encurtar as despesas e garantir a estrutura necessária para o bom andamento das operações em toda a cadeia produtiva ou em parte dela.

Engenharia da Qualidade

Nesse caso, o engenheiro de Produção vai garantir o supervisionamento dos sistemas que controlam a qualidade. Ele pode elaborar auditorias, ajudar em processos de certificação, verificar o cumprimento de normas etc.

Engenharia do Produto

Geralmente, o engenheiro de produto coloca pra funcionar as engrenagens necessárias pra fabricar determinado tipo de mercadoria. Essa tarefa costuma incluir gestão de pessoas, de equipamentos e de matéria-prima.

Também pode ser necessária uma colaboração mais ativa em vendas. Na maioria dos casos, esse colaborador vai dar suporte técnico e operacional para o lançamento de novos produtos.

Educação em Engenharia de Produção

Ao se formar no curso de Engenharia de Produção, você também tem a opção da carreira acadêmica. Dessa forma, vai trabalhar na preparação de outros profissionais para o mercado.

Em uma faculdade, o professor de Engenharia de Produção dá aulas na graduação, na pós, nos cursos de extensão e especialização e também na pesquisa.

Engenharia Organizacional

Nesse nicho, o engenheiro especialista vai traçar a operação da empresa, de modo que ela fique ajustada ao planejamento estratégico. Pra desempenhar essa função, é preciso contar com noções do mercado em questão, de gestão de projetos, gestão de pessoas, entre outras atividades que englobem o fluxo produtivo.

Engenharia Econômica

Na Engenharia de Produção Econômica, o profissional analisa os resultados financeiros e presta orientações sobre o que fazer diante deles. Pra essa tarefa, deve-se aplicar os conhecimentos de matemática avançada aprendidos na faculdade.

Esse cargo tem funções como o gerenciamento das despesas, dos investimentos e a mensuração econômica dos riscos e ameaças que envolvam o negócio.

Engenharia do Trabalho

O engenheiro de Produção do Trabalho planeja a forma como as atividades serão executadas. Isso inclui os sistemas de informática, os ambientes, a manipulação segura de maquinas e equipamentos etc.

O objetivo principal desse especialista é garantir a integridade física e a saúde de toda a equipe. Além disso, ele deve se preocupar com as questões abstratas que influenciam o bem-estar do time.

Por exemplo: implementar políticas pra incentivar as boas relações e a cordialidade entre os colaboradores. Na Engenharia de Produção do Trabalho, o profissional comanda quesitos como ergonomia, limpeza, organização e segurança.

Engenharia de sustentabilidade ambiental

Nesse braço da Engenharia de Produção, o profissional vai coordenar ou participar das ações de responsabilidade ambiental da empresa. Desse modo, ele pode criar métodos pra diminuir o uso dos recursos naturais.

Além disso, ele encabeça projetos pra dar destino correto aos resíduos da produção. Também pode liderar iniciativas pra economizar energia elétrica, papel, insumos, entre outros.

Quais são as tendências para o futuro dessa profissão?

O Engenheiro de Produção precisa estar preparado, porque nos próximos anos a tendência é trabalhar com Tecnologia cada vez mais –– e não somente nos melhores cursos de TI.

Afinal de contas, inovações como computação em nuvem, Big Data, robôs, cibersegurança e realidade aumentada estão invadindo o dia a dia dos negócios, principalmente na indústria.

Diante disso, é preciso ter um bom preparo na questão de TI. Acompanhe a seguir algumas áreas que estão em pleno crescimento.

Manufatura aditiva

A impressão 3D de artigos com configuração complexa é a principal atividade da manufatura aditiva. Desse modo, nesse nicho, o profissional vai ajudar no desenvolvimento de objetos que seriam muito trabalhosos — ou até mesmo impossíveis — de serem projetados pelo computador.

Atualmente, essa tecnologia produz peças e motores pra equipamentos hospitalares, pra Medicina diagnóstica, aviação, setor automotivo, entre outros.

Automação industrial

Muitos trabalhos manuais e repetitivos vêm sendo substituídos nos últimos anos. Porém, ainda existe espaço pra ampliar a automação em diversos setores.

Aliás, há pessoas nessa área que acreditam que essa atividade mais monótona deve ser completamente trocada pelo trabalho de robôs e maquinários em breve.

Internet das Coisas

A Internet das Coisas é mais uma área importante pra quem pensa em fazer o curso de Engenharia de Produção. Nesse tipo de tecnologia, máquinas e softwares são integrados pra execução de tarefas e mapeamento de desempenho.

Assim, sensores podem ser acoplados à mercadoria em conexão com sistemas de informática. Como resultado, é possível controlar o estoque pelo celular, tablet, notebook ou computador, por exemplo.

Esse recurso representa uma enorme economia de horas e esforços em deslocamento de funcionários pelos Centros de Distribuição (CDs). Além disso, a Internet das Coisas é amplamente aplicada pra monitorar o desgaste de maquinários, oscilações de temperatura, consumo de eletricidade, entre outros fenômenos da rotina produtiva.

Quais são os cargos mais bem-pagos?

Como já é de conhecimento geral, o salário das Engenharias é bastante recompensador, não sendo diferente na Engenharia de Produção.

Não se pode negar a boa perspectiva financeira na carreira. Afinal de contas, há muita chance de ocupar cargos com vencimentos acima de R$ 10 mil. Evidentemente, aspectos como a localização da empresa, o nicho de atuação, o tamanho da companhia e a experiência profissional influenciam esses valores.

Mas o piso salarial do CREA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) é de 8,5 salários mínimos para o engenheiro de Produção que faz 8 horas diárias, algo que equivale a mais de R$ 8 mil. Ou seja, dá pra mudar de vida e ainda ajudar a família.

Porém, o salário do formado em Engenharia de Produção cresce ainda mais quando ele faz uma pós-graduação. Por falar em dinheiro, preparamos uma lista dos cargos mais atraentes do setor em termos financeiros. Vamos lá?

Analista de PCP

O engenheiro de produção analista de PCP (Produção e Controle da Produção) gerencia o processo produtivo, otimizando recursos, supervisionando pessoas e planejando a manutenção. O salário médio é de R$ 3 mil* (só lembrando que, para 8 horas de trabalho, o piso é acima de R$ 8 mil).

Gerente Operacional

Além de organizar a rotina do processo produtivo, ele também atua na elaboração de metas e planos pra aprimorá-lo. Nessa função, dá pra incluir atividades de liderança em manutenção, recursos humanos, compras, finanças etc. Esse cargo tem salário médio de R$ 4 mil*, mas em muitos casos os ganhos superam os R$ 20 mil.

Supervisor de Produção

Já o supervisor de Produção traça diagnósticos sobre a capacidade produtiva e verifica as condições pra ampliá-la. Assim, ele vai definir e coordenar as ações necessárias para expandir sem perda da qualidade atual. Em média, o salário é de R$ 4,2 mil*.

Onde estudar Engenharia de Produção?

Embora realmente seja uma carreira muito boa em termos financeiros e de mercado de trabalho, é crucial uma graduação de qualidade pra ter sucesso. Pra escolher uma instituição de peso, vale pesquisar direitinho sobre infraestrutura, seja no ambiente físico, seja no virtual. Além disso, os professores devem ter experiência prática e uma formação acadêmica de relevo.

Mais uma questão importante a ser pensada é a grade curricular de ensino. Afinal, a Engenharia de Produção é um dos tipos de Engenharia com grande influência das ciências de Administração e Gestão.

Assim, verifique se o curso almejado inclui disciplinas ligadas à Tecnologia, aos Recursos Humanos, à Economia, à Administração e ao Gerenciamento Financeiro. Além de tudo isso, algumas faculdades oferecem diferenciais importantes.

Aqui na Pitágoras, temos bolsas de estudos, portais de emprego, como o Canal Conecta, Aula Destaque com experts consagrados no mercado de trabalho (inclusive CEOs) e muito mais. Um dos nomes de peso pra nossas aulas online é o professor Marcelo Castelli, CEO Global Votorantim Cimentos.

Também contamos com o conhecimento do economista Ricardo Amorim, considerado o mais influente do Brasil segundo a revista Forbes.

Mais uma vantagem de moldar seu futuro com a ajuda da Pitágoras são cursos online gratuitos com certificações de parceiros. Confira exemplos:

  • HUAWEI ICT Academy;
  • AWS Academy;
  • AWS Educate;
  •  CISCO.

Invista na sua carreira!

O curso de Engenharia de Produção pode ser uma ponte segura para um futuro melhor. Assim, será possível conquistar uma vida financeira mais tranquila, além de somar muitos desafios profissionais.

Agora, a caminhada até o diploma é longa. Por isso, quanto mais cedo começar, mais rápido vai terminar a faculdade. Então, que tal dar início a sua trajetória de sucesso agora mesmo? É fácil: inscreva-se no vestibular da Pitágoras!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.5 / 5. Número de votos: 13

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.