Quem é o assistente social e como ele atua? Descubra!

quemeoassistentesocialecomoeleatuadescubra

Definir o curso de graduação é o caminho a ser tomado pelos estudantes após o término do ensino médio. O momento costuma provocar certa ansiedade e insegurança — e não é raro encontrar aqueles que não sabem nem ao menos dizer se preferem Humanas ou Exatas!

Bem, não há como negar que a situação exige atenção e seriedade. O investimento em educação é essencial e definidor do sucesso na vida. Contudo, é necessário, antes, conhecer bem cada profissão, de modo a fazer uma escolha acertada. Sendo assim, você sabe dizer?

Considerado um profissional ligado ao bem-estar físico, psicológico e social, ele realiza serviços na sociedade, de modo a amparar pessoas sem acesso à cidadania. Desse modo, costuma trabalhar com grupos minoritários ou em situação de risco.

Que tal conferirmos mais detalhes sobre sua atuação e o mercado de trabalho? É só continuar a leitura!

O que é um assistente social?

O assistente social é o profissional formado em Serviço Social. Ele tem o papel de promover o aumento do bem-estar físico, psicológico e social, principalmente relacionado a grupos considerados minoritários ou em situação de riscos. Menores ou idosos abandonados, pessoas que moram nas ruas, adolescentes viciados em drogas, indígenas, negros e LGBT são alguns dos focos.

[GIF]

Qual o perfil desse profissional?

Um assistente social precisa, antes de tudo, saber lidar com pessoas dos mais variados perfis. Para isso, é necessário ter boa comunicação interpessoal, pois o diálogo com o outro é uma de suas principais formas de atuação. Saber se expressar de forma adequada e conseguir receber mensagens é igualmente importante.

Nesse pacote, também entra a empatia. Poder entender a dor do outro, ainda que nunca a tenha enfrentado é um diferencial para quem deseja se dar bem na área, viu? O autocontrole é outra característica desejável. Afinal, trabalhar com pessoas vulneráveis ou em situações não-favoráveis demanda um domínio muito grande das nossas emoções e comportamentos.

Também é fundamental uma força para lutar por ideais e pelos direitos humanos alheios. Sabe aquela vontade de mudar o mundo para melhor? É um aspecto predominante no assistente social! Para isso, é importante ser alguém proativo.

Gostar de ler é desejável, já que o profissional precisará estar sempre atualizado com normas e decisões do governo. Não se esqueça de que estamos falando de luta pelos direitos, o que demanda boa interpretação de leis.

O que ele faz?

O assistente social é responsável por analisar, elaborar, coordenar e executar planos, projetos e programas, com o intuito de viabilizar os direitos da população e garantir seu acesso:

  • à saúde;
  • à educação;
  • à previdência social;
  • à habitação;
  • à cultura;
  • à assistência social.

Palavras típicas do cotidiano da profissão são inclusão e aceitação. Ele pode trabalhar de maneira mais dinâmica, visitando pessoas, levando-as a abrigos e orientando-as sobre suas garantias. Também pode vistoriar ambientes, com o intuito de verificar a existência de falhas nos direitos.

Um exemplo seria fazer o acompanhamento de uma criança em processo de adoção e visitar o novo lar, de tempo em tempo, para orientar os novos pais e verificar se tudo está dentro do esperado.

Ainda, elabora estudos e laudos sobre determinada população. A partir disso, realiza planejamentos e planos de ação, de modo a conseguir oportunizar mais garantias a essas pessoas. Por exemplo, pode elaborar pesquisas para examinar a eficiência do projeto de cotas e posicionar algumas ideias, com a finalidade de otimizá-lo.

Qual sua formação?

O assistente social precisa se formar em Serviço Social, na modalidade Bacharelado. O curso tem duração média de 4 anos. É voltado à área de Humanas e, por isso, as matérias são voltadas às questões sociais. Algumas disciplinas são:

  • Sociologia;
  • Filosofia;
  • Antropologia;
  • Política social;
  • Direito e legislação social;
  • Classes e movimentos sociais;
  • Administração e planejamento em serviço social.

A graduação pode ser em uma faculdade semipresencial ou presencial. A primeira opção é ótima para quem necessita de mais flexibilidade na rotina, pois possibilita que parte das aulas sejam online, por meio de uma plataforma. Já a segunda beneficia aqueles que não dispensam o modelo tradicional, com encontros diários em uma sala presencial.

Na Faculdade Pitágoras, temos as duas oportunidades, que podem ser escolhidas de acordo com as preferências e necessidades pessoais. Também oferecemos opções facilitadoras para quem não conta com condições de arcar com os valores integrais nas mensalidades. O financiamento estudantil, como o FIES, é uma dessas alternativas e viabiliza um pagamento acessível após o término da graduação.

Como é o mercado de trabalho?

Antes de tudo, para trabalhar, o profissional precisa estar credenciado ao Conselho Federal de Serviço Social (CFESS). A carreira como assistente social tem se diversificado os últimos anos, mas o serviço público ainda é o principal campo de atuação. Veja as duas principais áreas!

Setor privado

Oferece oportunidades em creches, consultorias, sindicatos, escolas, centro de saúde, entidades filantrópicas. Em empresas, os assistentes sociais podem, por exemplo, mediar conflitos e interesses entre empregadores e empregados.

Outra realidade é a promoção de programas educativos, de bem-estar e de segurança, com a finalidade de melhorar o ambiente de trabalho. Essa é, inclusive, uma área promissora e tem feito os profissionais serem mais requisitados. Segundo a Catho, a média salarial no setor privado é de R$2.538,12.

Setor público

Ainda é a principal área de atuação e demanda a prestação de concurso público. Pode atuar em escolas, hospitais, serviços de proteção judiciária, redes de serviços sociais do Governo, administrações municipais, estaduais federais. Exemplos de órgãos e entidades são: INSS, prefeituras, Ministério Público, varas da infância e juventude.

Ao atuar no Poder Executivo, o trabalho costuma ser com a criação de estratégias e auxílio da população ao acesso às informações. É um trabalho de pegar no batente mesmo e estar lado a lado com determinado grupo, como moradores de rua.

No Poder Judiciário, há muito contato com crianças e adolescentes, como no caso do exemplo da adoção. No Poder Legislativo, o assistente social atua com foco em criar oportunidades e recursos legais, para aumentar o acesso à justiça social, como no caso da otimização da lei de cotas.

A remuneração no setor público varia e depende bastante do órgão e da cidade, podendo ficar entre R$3.000 e R$6.500, por exemplo.

Resumindo, a profissão de assistente social demanda bastante luta por classes menos favorecidas ou por pessoas sem condições de responderem por si mesmas. Caso você esteja ainda em dúvidas se a carreira é para você, sugerimos conhecer o site Giro de Profissões. Por meio de um game descontraído, você descobre mais características pessoais e tem uma ideia do seu futuro profissional!

Gostou do artigo? Compartilhe-o com seus amigos, para que eles conheçam mais sobre o Serviço Social também!

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Dê mais um passo na direção da carreira dos seus sonhos !

Assine nossa Newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Skip to content